Cidades

Governo do Estado anuncia nova utilização para Centros de Covid 1, 2 e 3

Equipamentos utilizados nas unidades darão suporte para a modernização e ampliação da rede de assistência de saúde estadual.

Compartilhe:
Foto: Márcio Pinheiro

Em coletiva nesta quarta-feira, 30, o Governo do Amapá anunciou a desativação e a nova destinação dos Centros de Atendimento Covid 1, 2 e 3 em Macapá e Santana. A medida foi tomada após o recuo do número de contágio e a queda na taxa de ocupação dos leitos de casos de coronavírus no Amapá. As internações passarão a ser concentradas no Centro Covid do Hospital Universitário.

A decisão levou em consideração critérios técnicos de recuo da infecção do vírus no estado nas últimas 6 semanas, a necessidade de retomar procedimentos de saúde que foram reduzidos com a concentração de recursos e ações na pandemia, além dos altos desembolsos financeiros para manter os Centros Covid em funcionamento, levando em consideração que nos últimos 45 dias essas unidades estavam ficando praticamente ociosas.

Os três centros estavam sendo gerenciados desde maio pela Organização Social (OS) Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH), para facilitar o fluxo de operações no enfrentamento à pandemia de covid-19 e dinamizar o tratamento dos pacientes encaminhados pela rede estadual, já que o instituto possuía maior facilidade e rapidez no acesso a equipamentos e insumos necessários no tratamento dos usuários. O custo mensal para o Estado era de aproximadamente R$ 9,8 milhões mensais.

Durante o período de funcionamento foram contabilizados 984 pacientes atendidos apenas nos 3 centros, desses, 680 receberam alta e puderam retornar às suas famílias.

Todos os equipamentos e mobiliários dos Centros 2 e 3 já pertencem ao Estado, que também está viabilizando a compra dos aparelhos alugados. São respiradores, monitores multiparâmetros, bombas de infusão, desfibrilador e instrumentos para procedimentos de emergência, como intubações, que serão distribuídos entre as unidades de saúde da rede estadual, garantindo modernização e ampliação dos atendimentos.

Centro de Covid 1

A unidade fica localizada no complexo do Hospital de Clínicas Alberto Lima (Hcal)e passará por adequações para receber toda a estrutura da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) – com os atendimentos que já realiza de consultas ambulatoriais na área de oncologia, tratamento quimioterápico, pronto atendimento (urgência e emergência) para pacientes oncológicos.

O local onde atualmente está localizada a Unacon – no segundo andar do hospital de Clínicas Alberto Lima (Hcal) – vai concentrar a ampliação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hcal que passará a contar com 23 leitos clínicos e cirúrgicos de UTI e 4 de semi-intensivo.

A ampliação é necessária já que o fluxo de pacientes da Unacon aumentou nos últimos anos, em 2018 eram 360 pacientes que faziam acompanhamento na unidade, em 2019 esse número subiu para 570 usuários. A previsão de entrega do novo espaço é de 70 dias.

Centro Covid 2

A unidade, que funcionava no prédio da Maternidade Zona Norte, passará por adequações.

O espaço já passa por adequações que são necessárias para o funcionamento como Maternidade. Segundo a secretaria de Infraestrutura (Seinf), até 30 de outubro os serviços devem ser finalizados. Então a secretaria de Saúde (Sesa) entrega a estrutura – que já conta com boa parte dos equipamentos e mobiliários hospitalares – para a Organização Social de Saúde (OSS) que vai gerenciar para que o local cumpra de fato com a finalidade de ser uma Maternidade de Risco Habitual. Fortalecendo a rede de cuidado materno infantil e desafogando o Hospital da Mulher Mãe Luzia.

As obras da Maternidade Bem Nascer, na zona norte de Macapá, seguem em paralelo aos atendimentos no Centro do Covid 2, instalado provisoriamente em parte da estrutura. Ao final da pandemia a meta do Governo é transformar o espaço na principal maternidade do estado.

A estrutura vai ter capacidade para realizar 620 partos por mês, entre normais e cesáreas. Além disso, a maternidade terá espaço para 36 internações de cuidados neonatais, 108 observações, 1,2 atendimentos de urgência e emergência, testes do pezinho, orelhinha e coraçãozinho.

Centro Covid 3

A estrutura do Centro de Covid 3 foi adaptada e transformada em Centro de Apoio ao Hospital de Santana – devido ao princípio de incêndio ocorrido no fim de agosto. A unidade absorveu as demandas de internação clínica e cirúrgica e de UTI adulto, internação puérpera e recém nascidos (mãe e RN). Estão disponíveis 44 leitos, 24 clínicos e 20 de UTI a equipe profissional de executa as atividades no local é do próprio Hospital de Santana.

Segundo o secretário de Saúde Juan Mendes, o sentimento é de dever cumprido, mas ele reforçou que é necessário que a população se mantenha atenta aos cuidados, como o uso de máscara e higienização das mãos e as regras de distanciamento social, que foram fundamentais para enfrentar a propagação do vírus.

“Ver esses centros sendo desmobilizados e sendo disponibilizados para outros fins para a população é uma felicidade, mas isso não pode refletir para que a população ache que nós já terminamos o enfrentamento à covid. O vírus ainda está circulando”, explicou.

Covid HU

Com a desmobilização dos três centros, o atendimento a pacientes acometidos pela doença causada pelo novo coronavírus, em Macapá, será concentrada no Centro Covid HU, instalado em uma das alas do Hospital Universitário.

Nas últimas seis semanas, o Amapá registra queda na taxa global de ocupação dos leitos, que se manteve estabilizada entre 35% e 45%, o que representa uma média de 60 casos, com 18 de UTI. Essa demanda pode ser absorvida com folga pelo Covid HU, cuja a atual capacidade total é de 120 leitos, sendo 32 destes de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Atualmente o HU tem apenas 19 pacientes internados, sendo 8 pacientes clínicos e 11 na UTI.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *