Cidades

Governo mobiliza atendimento social e de saúde para amapaenses afetados por alagamentos

Desde o início do ano, quando as fortes chuvas começaram, o governo estadual monitora as principais regiões de inundações e alagamentos.

Compartilhe:
Foto: Maksuel Martins

O Governo do Estado do Amapá realiza, desde janeiro deste ano, diversas estratégias para evitar grandes danos às famílias vítimas de inundações e alagamentos em áreas de risco de todo o estado. Atualmente, Vitória do Jari, Serra do Navio, Pedra Branca, Porto Grande, Laranjal do Jari, Oiapoque, Macapá e Santana apresentam problemas relacionados às fortes chuvas.

As equipes da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cedec), Secretaria de Estado de Mobilização Social (Sims) e Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) estão nos municípios para monitoramento da situação e identificação de famílias que precisam de apoio, como abrigo, alimentos ou água potável.

Famílias afetadas

Laranjal do Jari contabiliza 27 famílias desalojadas e 442 famílias afetadas indiretamente. Em Vitória do Jari, na sede do município, há 642 famílias atingidas. Na área rural, são 292 famílias atingidas.

Em Porto Grande, há 80 famílias afetadas pela elevação dos Rios Amapari e Araguari, sendo oito famílias desalojadas. Em Pedra Branca do Amapari foi decretada a Situação de Emergência, com aproximadamente 78 famílias afetadas.

Em Oiapoque foram contabilizados 114 imóveis afetados, entre eles estão residências, prédios públicos, posto de saúde e estabelecimentos comerciais.

Ações de Governo

Desde janeiro, a Defesa Civil Estadual vem aproximando a interação com as prefeituras de todo o estado para implantar as defesa civis municipais. O Governo do Amapá também mobilizou uma grande força-tarefa para ações conjuntas de assistência às famílias atingidas pela enchente na região dos municípios de Amapá e Calçoene, primeiras áreas atingidas em 2021.

 

As fortes chuvas causam, principalmente, danos nos sistemas de captação e distribuição de água dos municípios. Por conta disso, caminhões-pipa e equipes de assistência social são enviadas para as localidades, com apoio dos órgãos de saneamento, assistência social, saúde, defesa civil e transportes. A Companhia de Água e Esgoto do Amapá (CAESA) realizou a desinfecção de mais de 2,8 mil poços afetados em Amapá e Calçoene.

A Secretaria de Transportes do Estado (Setrap) também faz parte da equipe de ação do Governo, prestando apoio na limpeza dos canais de drenagem de água e pluviais nos municípios afetados, como realizado em Santana, em janeiro.

Durante o agravante da situação no início do ano, a força-tarefa do Governo enviou remessas com cestas básicas e caixas de hipoclorito para o município de Calçoene, totalizando 500 kits de mantimentos básicos. Além disso, também foi entregue, em parceria com a Câmara de Vereadores do município, água mineral para as famílias afetadas e em vulnerabilidade social.

A Cedec também vem atuando em Vitória do Jari no combate à covid-19; preparação para atendimento às inundações; instalação de uma régua para controle do nível do rio, em Jarilândia; projeto de combate a incêndio para a cidade de Vitória do Jari, destinação de área para a construção do quartel do 8º GBM e implantação de projetos sociais no município em 2022.

Em abril, o Governo mobilizou um grupo de trabalho para monitorar e avaliar os impactos causados pelas fortes chuvas que atingiram o município de Ferreira Gomes. A estimativa apontava que as principais áreas atingidas com o alagamento foram o bairro Ameixal e parte do centro da cidade, afetando diretamente 110 casas, cerca de 500 pessoas.

A Sims está cadastrando as famílias atingidas para liberação de assistência com aluguel social e liberação de cestas básicas do programa Comida em Casa, que fornece alimentos por um período de 45 dias para cada família atingida.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *