Cidades

Lixeiras viciadas que causam perigo à rota aérea são retiradas pelo Município

O excesso de lixo atrai urubus e causa perigo à rota aérea em alguns pontos de da capital amapaense. Para combater as famosas lixeiras viciadas, a Prefeitura de Macapá iniciou a remoção de cinco pontos críticos de acúmulo de lixo.

Compartilhe:

De acordo com o secretário de Manutenção Urbanística, Augusto Almeida, a ação deveria ser coletiva, entre as gestões estadual e municipal, em atendimento à solicitação do Ministério Público Federal (MPF). Mas, até o momento, o Governo do Estado do Amapá (GEA) não manifestou interesse.

As equipes da prefeitura catalogaram cinco pontos de lixeiras viciadas, que estão exatamente na rota das aeronaves, sendo o primeiro na Rodovia Norte/Sul, seguida das feiras da Av. 1º de Maio, no Trem; Av. 18ª, no bairro Congós; no matadouro da Frimap; e na lixeira do município de Santana, localizada a 17 km do aeroporto.

 

Ainda segundo Almeida, em julho deste ano, a prefeitura retirou, mesmo não sendo de competência dela, mais de uma tonelada de lixo das margens da Rodovia Norte/Sul. “São cinco locais onde o acúmulo de lixo é intenso, todos de competência do Executivo estadual. Estamos fazendo o que é possível para ajudar, mas é uma batalha que necessita da colaboração do GEA”, enfatiza o secretário.

Além de causar perigo ao espaço aéreo, o lixo pode acarretar risco à saúde da população por meio dos vetores que transmitem doenças como a leptospirose, dengue, zica, febre chikungunya e febre amarela urbana. No município, descartar lixo em via pública é proibido. De acordo com a Lei Complementar nº 054/2008, pode gerar multa que varia de R$ 500,00 a R$ 2 mil. E, conforme a gravidade, o infrator poderá ser conduzido à delegacia para responder por crime ambiental.

 

A população pode colaborar com a prefeitura por meio do Disk Denúncia. Basta ligar ou mandar mensagem para o número 99147-1050. O contato também é WhatsApp.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *