Cidades

Lockdown aumenta o índice de isolamento social em Macapá

Marcio Pimentel, secretário de Meio Ambiente explica que no primeiro dia já foi possível perceber um isolamento maior, e diz que taxa chegou na mais alta até então, de 58%.

Compartilhe:

Marcella Palheta
Da Redação

 

Dados divulgados pelo Governo do Amapá mostram que a porcentagem de casos positivos para exames do coronavirus no estado chegou a 76,33%. O Amapá alcançou mais de 4 mil casos de COVID-19, com o número de óbitos chegando a 142. O estado tem a maior taxa de incidência em todo o país e o baixo índice de isolamento social, que chegou 46% antes do Lockdown, é um dos motivos que explicaria a expansão do COVID-19 no Amapá.

 

Em decorrência dos altos números de casos confirmados do vírus e do baixo índice de isolamento social, foi decretado o Lockdown. Com isso, a Prefeitura de Macapá realizou na terça-feira, 19, barreiras e fiscalizações de trânsito em diversos pontos da capital para o cumprimento do primeiro dia de isolamento social mais rígido. A medida faz parte do Decreto Municipal 2.058/2020, que prevê o sistema de rodízio de veículos e circulação de pessoas nas ruas.

 

Marcio Pimentel, secretário municipal de Meio Ambiente explica que no primeiro dia já foi possível perceber um isolamento maior, e diz que taxa chegou na mais alta até então, de 58%.

“O ideal pela Organização Mundial de Saúde é em torno de 79%, mas esse número de 58% já é bom. O estado do Amapá já vem dois dias seguidos com o maior índice de isolamento desde o inicio da pandemia. Isso só mostra que o nosso trabalho, em parceria com o Governo do Estado, ta dando resultado com as barreiras e fiscalizações” explica o secretário.

 

Além das barreiras, Marcio Pimentel também explica que estão fazendo trabalhos de doação de EPIs para bairros mais contaminados da cidade. “Acho importante falar que também estamos levando serviço principalmente aos bairros mais contaminados da cidade. Ontem fizemos doação também na UBS Lélio Silva e as pessoas agradeceram, pois estavam com dificuldades em conseguir máscaras”.

 

O secretário diz que o trabalho tem sido intensivo, para ele, o mais importante é que o isolamento chegue aos 79% indicado pela OMS.

 

“Nós vamos continuar esses 10 dias intensos com barreiras e fiscalização das placas”.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *