Cidades

Mais um enfermeiro morre vítima da Covid-19 em Macapá

Elton Camilo atuava na linha de frente de combate ao vírus na UPA Zona Sul. Amigos e colegas lamentaram a morte precoce do profissional.

Compartilhe:

A dor estampada no semblante dos guerreiros da saúde foi mais forte com a queda em combate de mais um guerreiro  qualificado, aguerrido e destemido. O enfermeiro Elton Camilo Fernandes Santana, que trabalhava na UPA Zona Sul de Macapá, foi a óbito na madrugada dessa quarta-feira (27) na mesma unidade onde combatia o bom combate. A UPA Zona Sul é ligada à  Secretaria de Saúde do Estado do Amapá, mas a gestão é feita pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH).

 

Elton faz parte da triste estatística dos infectados pelo Covid-19 e agonizava com os efeitos nefastos da doença há quase 10 dias. Desde que foi diagnosticado positivamente com a doença, ele se afastou e ficou em isolamento domiciliar. Com o agravamento foi internado na UPA Zona Sul e não conseguiu ser regulado para uma das unidades de referência no tratamento da Covid-19.

 

A diretora da UPA Zona Sul, Nara Mundin, disse que um  profundo pesar se abateu sobre os colegas, que ainda  precisam manter o equilíbrio emocional para continuar na luta pela saúde pública.

 

 “Sabemos que todos nós estamos expostos ao risco do contágio, que todos os guerreiros da saúde são os alvos preferenciais dessa pandemia. Mas, temos consciência de que estamos defendendo milhares de outras vidas, mesmo com as nossas em risco”, comentou.

 

Os colegas da UPA Zona Sul choraram e não puderam nem se abraçar para dar consolo mútuo, visto que distanciamento social é uma medida preventiva de diminuição dos riscos de contágio. Não puderam chorar sobre o corpo do irmão de batalha que tombou, porque a normativa do Ministério da Saúde é que as urnas não sejam abertas depois de lacradas, também como medida preventiva. Não puderam abaixar a cabeça porque a batalha continua e a agressividade do vírus não permite afrouxar a resistência nem descuidar do combate.

 

“Vamos chorar a ausência do irmão que tombou e pedir a Deus que o receba na glória eterna. Vamos nos consolar e seguir em frente e dar um conforto à família que perdeu seu ente querido. Vamos em frente porque ainda há muitas batalhas a serem travadas. Nosso irmão se foi e muitos outros precisam de nós”, frisou a diretora.

 

Que o Grande Arquiteto do Universo ilumine e proteja esses guerreiros, porque a população do Amapá precisa muito da valentia desses valorosos guerreiros.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *