Cidades

Promotora de justiça avalia decisão judicial sobre Hospital de Emergência

Para Fábia Nilci, solução seria a construção de um novo hospital.

Compartilhe:

Douglas Lima
Da Redação

A promotora de justiça de defesa da saúde do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Fábia Nilci, avaliou, no início da noite desta quarta-feira, 10, a decisão judicial tomada nesta terça-feira, 9, determinando que o governo estadual tome medidas urgentes para um bom funcionamento do Hospital de Emergência de Macapá (HEM).

Nilci lembrou que a medida, assinada pela juíza Alaíde de Paula, titular da 4ª Vara Cível, foi a pedido da Promotoria de Defesa da Saúde, através de medida cautelar, visando assegurar a manutenção, permanência regular e contínua do fornecimento de medicamentos, correlatos, insumos, exames e equipamentos médicos essenciais ao atendimento dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que buscam o HEM.

A avaliação da promotora de justiça foi no programa ‘Café com Notícia’ (Rádio Diário FM 90,9), onde justificou a ação cautelar em decorrência do funcionamento precário com que o Hospital de Emergência de Macapá é conduzido, apresentando diversos equipamentos sem condições de uso e ainda falta de alguns, bem como de medicamentos.

Fábia Nilci chegou a dizer que a estrutura física do HEM está seriamente comprometida pelo longo tempo em que existe, e que por isso uma restauração ou reforma não seria suficiente, mas sim a construção de um novo prédio hospitalar.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *