Cidades

Vereador denuncia crime ambiental onde foi iniciada construção da bacia de decantação em Santana

Rarison Santiago afirma que moradores de pelo menos quatro comunidades estão sendo prejudicadas

Compartilhe:

Por Paulo Silva

O vereador Rarison Santiago (Republicanos) denuncia o que considera descaso da Prefeitura Municipal de Santana por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), além da omissão na fiscalização da área onde foi iniciada a construção de uma bacia de decantação que pelo projeto deveria tratar todo o esgoto sanitário da cidade quando estivesse concluída.

O vereador, que faz oposição ao prefeito Ofirney Sadala, denuncia o crime ambiental de empresas que criaram uma lixeira clandestina na área, prejudicando a saúde dos moradores das comunidades Vale das Bençãos, Delta do Matapi, Piçarreira e Elesbão, que sofrem com a poluição do ar provocada pela queima de lixo que gera gás tóxico, ocasionando diversos casos de doenças respiratórias relatos por moradores do entorno da área.

Em sua ação de fiscalização, Rarison Santiago afirma que constatou em flagrante um verdadeiro crime ambiental, sanitário e um atentado contra a saúde pública do povo de Santana.

Ele informou que apresentará requerimento de urgência convocando o secretário Iveraldo Quaresma Uchôa, da Semduh, para prestar esclarecimentos aos vereadores sobre os crimes ambientais na área e encaminhará denuncia, cobrando medidas urgentes do Ministério Público do Amapá e Ministério Público Federal, além de órgãos ambientais como a Sema e Imap no sentido de impedir a continuidade de tais crimes, cobrando a punição da prefeitura de Santana e seus gestores, além das empresas envolvidas nos crimes.

“Iremos cobrar dos responsáveis e das demais autoridades, a responsabilização dos crimes ambientais, sanitários e contra a saúde da população, constatados em flagrante durante a nossa fiscalização na área da bacia de decantação”, assegura Rarison Santiago.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *