Esportes

Jornalista e ex-atleta, Ulisses Laurindo, de 91 anos, morre vítima da Covid no Amapá

Jornalista do Sistema Diário de Comunicação, Ulisses Laurindo, de 91 anos, morreu na manhã desta quarta-feira (17), na UTI do Hospital São Camilo, após agravamento da Covid-19.

Compartilhe:

Elden Carlos
Editor-chefe

 

O jornalista e ex-atleta olímpico, Ulisses Laurindo, de 91 anos, morreu na manhã desta quarta-feira (17) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Camilo, em Macapá (AP), onde ele estava internado há 11 dias após ter contraído a Covid-19. Ulisses já havia tomado a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus, mas acabou contraindo o vírus juntamente com todos os familiares que seguem internados.

 

Nos primeiros dias de internação ele permaneceu em leito clínico, mas nos últimos quatro dias a situação agravou, sendo necessária sua transferência para a UTI. O comprometimento das funções respiratória levou os médicos a realizarem o procedimento de entubação do jornalista.

 

Por volta de 6h da manhã Ulisses Laurindo não resistiu ao agravamento. A filha do jornalista, doutora Maracy Laurindo Andrade, que é secretária adjunta de Enfrentamento a Covid-19 no Amapá, disse em mensagem ao Diário que:

 

“Ele [Ulisses] faleceu sereno e em paz. O único sentimento é a saudade, mas ele cumpriu sua missão com honra e louvor”, escreveu a médica.

Natural da cidade de Coruripe, em Alagoas, Ulisses foi para o Rio de Janeiro aos 18 anos, quando ingressou nas fileiras do Exército Brasileiro. Lá, descobriu o amor pelo esporte e logo se destacou como corredor, tendo os 400 metros rasos como especialidade.

 

Com passagens pelo Flamengo em Vasco da Gama, em 1956 foi convocado pelo Clube de Regatas Vasco da Gama a compor a equipe que disputou as Olimpíadas de Melbourne, na Austrália. ‘Gazela’, como ficou conhecido, conquistou o quarto e memorável lugar na prova dos 400 metros com barreira. Um feito gigante para um atleta cheio de desafios no esporte e na vida pessoal.

Ele participou de 9 jogos pan-americanos e 4 Olimpíadas, sendo três delas já como repórter esportivo. Ele se manteve por 8 anos como recordista pan-americano dos 400 metros rasos.

 

Em 1970 Laurindo pendurou as velhas, mas honradas sapatilhas, iniciando sua carreira profissional no jornalismo. Ele atuou como repórter esportivo em vários veículos como Diário Carioca, Última Hora, Correio da Manhã e Jornal do Brasil.

 

Em 2009 o alagoano de sorriso fácil e gentileza incomparáveis desembarcou no Amapá, onde se enraizou. Ao Diário do Amapá emprestou seu profissionalismo a partir de 2011, quando ingressou como articulista. Logo ganhou sua coluna. Seu conhecimento e paixão pelo jornalismo o colocaram em seguida na bancada do programa radiofônico LuizMeloEntrevista (Diário 90,9FM), onde se tornou comentarista, tratando, além do esporte, sobre todos os temas em destaque.

Com o início da pandemia, em 2020, Ulisses Laurindo se afastou do trabalho físico, passando a atuar remotamente. Mesmo assim, o amor pelo trabalho e pelos colegas de profissão o faziam dar uma ‘escapulida’ de casa. Inesperadamente ele aparecia na redação do Diário para prestigiar os amigos.

 

Exemplo

Os cabelos brancos, movimentos lentos e visão diminuída em decorrência da idade, nunca foram problemas para o longevo Ulisses. Ele sempre fez questão de compartilhar seu conhecimento e experiência de vida com os colegas mais novos, porém, sempre buscando aprender com eles.

 

Certa vez ele disse:

 

“Não é o que se aprende que de fato importa, é o que se compartilha. O conhecimento não é conhecimento se não for repartido. A sabedoria está no compartilhamento da vida. ” (Ulisses Laurindo)

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *