Geral

Amapá é o único estado apto a acessar plataforma que agiliza analise do Cadastro Ambiental Rural

O lançamento da Análise Dinamizada do Cadastro Ambiental Rural será feito nesta quinta-feira 13, pelo Governo Federal.

Compartilhe:
O Amapá se destaca pela excelente base cartográfica – realizada em parceria com o Exército Brasileiro –, a organização da gestão ambiental, investimentos em tecnologia, sistemas informatizados de licenciamento e capacidade técnica. Essas características tornam o estado o único apto em todo o Brasil a acessar a plataforma do governo federal responsável por agilizar o Cadastro Ambiental Rural.

O Cadastro Ambiental Rural (CAR) é um registro eletrônico nacional que reúne informações ambientais dos imóveis rurais onde estão cadastrados mais de sete milhões de propriedades em todo o país. Criado há quase uma década, até hoje menos de 3% dos cadastros foram analisados.

O Serviço Florestal Brasileiro desenvolveu junto com os estados e com o apoio tecnológico da Universidade Federal de Lavras, uma ferramenta que contempla todas as exigências do código florestal. Esse novo recurso permite a análise das florestas de forma remota, usando dados de geoprocessamento, ferramenta de sensoriamento à distância e classificação do uso do solo.

Com a ferramenta os processos de análise florestal terão mais agilidade, economia de recursos, além de aumentar a capacidade analítica dos técnicos no processo cadastro ambiental rural. A principal vantagem é o processo de licenças ambientais para as atividades econômicas de forma mais rápida, proporcionando o desenvolvimento dos estados e fomentando a economia local.

O lançamento da Análise Dinamizada do Cadastro Ambiental Rural será feito nesta quinta-feira 13, pelo Governo Federal, em uma videoconferência no Youtube. O governador do Amapá, Waldez Góes, à convite da ministra de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, também participará do evento.

 

Base Cartográfica do Amapá

A plataforma de dados e de georreferenciamento foi desenvolvida pelo Governo do Amapá, por meio das Secretarias de Estado do Planejamento (Seplan) e de Meio Ambiente (Sema), em convênio com o Exército Brasileiro, por meio dos 2º e 4º Centros de Geoinformação (CGEO).

O trabalho consiste em coleta de informações precisas sobre população, água, solo, vegetação, entre outros dados, como imagens aéreas e de satélite, que possibilitarão conhecer e catalogar informações referentes a estradas, pistas de pousos, comunidades ribeirinhas, áreas indígenas, regiões isoladas, e uma série de outras utilidades.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *