Geral

Bandeira tarifaria para o mês de dezembro é amarela, confirma ANEEL

No caso do Amapá, ainda tem redução na tarifa aprovada para os consumidores da CEA

Compartilhe:

Paulo Silva

A bandeira tarifária em dezembro de 2019 será amarela, com custo de R$ 1,343 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Para dezembro, as previsões meteorológicas sinalizam melhora nas condições de chuva sobre as principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN), caracterizando o início do período úmido na região dessas bacias.

A previsão hidrológica para o mês é a de que as vazões afluentes aos principais reservatórios se elevem gradativamente, mas ainda atingindo patamares abaixo da média quando comparadas às referências históricas.

Essa condição intermediária repercutirá na capacidade de produção das hidrelétricas, ainda demandando acionamento de parte do parque termelétrico, com impactos diretos na formação do preço da energia (PLD) e nos custos relacionados ao risco hidrológico (GSF). O PLD e o GSF são as duas variáveis que determinam a cor da bandeir a a ser acionada.

Criado pela ANEEL, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

Com as bandeiras, a conta de luz ficou mais transparente e o consumidor tem a melhor informação, para usar a energia elétrica de forma mais eficiente, sem desperdícios.

 

Queda na tarifa
No Amapá, desde sábado (30), começaram a valer as tarifas aprovadas pela Aneel para os consumidores atendidos pela CEA, que cairão em média 6,13%. O reajuste anual aprovado leva a uma redução média de 5,17% para os consumidores em baixa tensão e de 9,13% em média para os de alta tensão. O consumidor residencial terá redução de 5,24%. Única das empresas da Região Norte ainda não privatizada, a CEA atende 206,2 mil unidades consumidoras no estado do Amapá.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *