Geral

Gigantes europeus criam entidade para discutir novo Mundial com a Fifa

Na América do Sul, Conmebol também quer participar da organização do torneio

Compartilhe:

O desejo de assistir futebol online grátis vai aumentar nas próximas temporadas com a reformulação do Mundial de Clubes. Oito grandes clubes do futebol mundial, incluindo Real Madrid e Milan, estão criando uma associação mundial de clubes.

A intenção é melhor o diálogo com a Fifa para discutir as reformas do novo Mundial de Clubes. A World Football Clubs Association (WFCA, na sigla), com sede em Zurique, reuniu oito clubes fundadores representando seis continentes: Além de Milan e Real Madrid, fazem parte da entidade Boca Juniors e River Plate, ambos da América do Sul, América-MEX (América Central), Guangzhou Evergrande (Ásia), o TP Mazembe (África) e o Auckland City (Oceania).

Representantes da entidade informaram que outros clubes “com vontade de participar” do novo Mundial de Clubes também poderão compor o órgão. “Esta nova associação irá propor uma contrapartida possível e séria à Fifa para discutir todos os aspectos ligados aos clubes, começando pelo Mundial de Clubes”, declarou Florentino Pérez, presidente do Real Madrid e primeiro presidente da WFCA.

Um dos desejos do atual presidente da Fifa, Gianni Infantino, é ampliar, a partir de 2021, o Mundial de Clubes de 7 para 24 equipes, além de mudar a disputa do torneio para a cada quatro anos, tomando o lugar no calendário da Copa das Confederações.

A ampliação do Mundial de Clubes é criticada pela Uefa, que organiza o calendário europeu. A entidade alega que não há mais datas possíveis no calendário para uma nova competição, além de enxergar no novo torneio um rival para a Liga dos Campeões.

Quem também está de olho nas movimentações em torno do novo Mundial de Clubes é o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez. Em entrevista ao canal ESPN Brasil, ele disse que irá brigar para que a América do Sul e a Europa tenham o mesmo número de participantes no Mundial.

“Para mim, o número ideal (de participantes da América do Sul) é que seja a mesma quantidade de clubes que tenha a Europa. É o certo que a gente tenha a mesma quantidade de equipes classificadas ao Mundial de Clubes, e é isso que vamos buscar”, assegurou

O dirigente também afirmou que ainda não sabe quais serão os critérios adotados pela FIFA para definir os participantes, mas ele adiantou que vai defender o “mérito esportivo” como ponto crucial.

“Até agora não temos certeza do formato que a Fifa apresentará para o torneio. O que posso dizer que é o mérito esportivo para mim parece ser a lógica (de como os participantes serão selecionados). Ou seja: o time que é campeão terá vaga no Mundial de Clubes, isso em qualquer formato”, afirmou.

Todos os times estão definidos para o Mundial de Clubes do Catar, que ocorre em dezembro e será o último no formato atual: Liverpool (Inglaterra), Al-Sadd (Catar), Hienghène Sport (Nova Caledônia), Monterrey (México), Flamengo (Brasil) Espérance de Tunis (Tunísia) e Al Hilal (Arábia Saudita)

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *