Geral

Estado integra ação de combate à Covid-19 no Parque Indígena Tumucumaque

Estado cedeu profissionais para ação conjunta que atendeu quase dois mil indígenas durante cinco dias

Compartilhe:
De 17 a 21 de julho, o Governo do Amapá participou da Missão Tiriyó, uma ação de enfrentamento à covid-19 que atendeu quase 2 mil indígenas de 32 aldeias do Parque Indígena Tumucumaque – que engloba parte dos estados do Amapá e Pará.

A ação alcançou povos das etnias Tiriyó, Wayana, Katxuyana, Aparai, Txikityana e outros indígenas isolados.

Para a Missão Tiriyó, o Governo do Amapá disponibilizou, através da Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), 23 profissionais, entre técnicos e enfermeiros, que foram linha de frente nos atendimentos oferecidos.

Os profissionais integraram uma verdadeira soma de esforços. A ação foi coordenada pelos ministérios da Defesa; da Saúde; e da Justiça; e pelas Forças Armadas, com a participação do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) e da Fundação Nacional do Índio (Funai). A Missão Franciscana Tiriyó, que atua de forma permanente no parque, também auxiliou.

 

Resultados

Não houve óbitos e nem agravamento de saúde nas 32 aldeias. Foram atendidos 1.991 indígenas e aplicados 433 testes rápidos, dos quais 91 deram positivo para covid-19.

Os protocolos terapêuticos e tratamento profilático desenvolvidos pelo comitê médico amapaense foram aplicado tanto nos indígenas quanto nos comunicantes das aldeias que testaram positivo.

Davi Katxuyana, de 53 anos, é cacique da sua aldeia e destacou, sobretudo, a união das instituições envolvidas para a realização da Missão Tiriyó.

“Para nós esse trabalho foi muito importante e esperamos que tenha continuidade. Eu gostei de ver todos juntos, os técnicos, os enfermeiros, todos apoiando o povo indígena”, finalizou o cacique.

 

Atenção aos indígenas

A coordenadora do Núcleo Estadual de Saúde Indígena (Nesi), Andreia Pacheco, destaca o alcance da Missão Tiriyó.

“Os povos indígenas do Parque do Tumucumaque vivem em uma região extremamente isolada e têm dificuldade para se deslocar até a capital, por isso foi muito importante essa união para levar o atendimento até eles. Fazer parte dessa missão foi uma grande honra”, frisou.

Integrar a ação é parte de um esforço feito pelo Estado para atender aos indígenas desde o início da pandemia. Nesse período, o Governo já garantiu remédios, desinfecção de aldeias, Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), testagem, além de destinar quatro leitos do Centro Covid HU exclusivamente para estes povos.

Em junho, o Estado realizou uma ação que atendeu mais de 10 mil índios em 56 aldeias de Oiapoque.

 

União de esforços

Sobre a Missão Tiriyó, o coordenador do Dsei Amapá e Norte do Pará, Roberto Fernandes, destacou a união que tornou a ação possível.

“Só está acontecendo essa ação, porque todas as agências, as instituições públicas, se uniram em prol dos povos indígenas, então é uma ação do governo federal que conta com o apoio do governo do Amapá. O nosso sentimento é de gratidão”, declarou Roberto.

Principais promotores da ação, o Exército Brasileiro (EB), destacou a efetividade dos atendimentos.

“Essa operação veio não só reduzir os efeitos da covid-19, mas também de outras enfermidades. Houve ainda a parte de manutenção de equipamentos, entrega de cestas básicas, entre outras ações”, comentou Major Borges, do Comando Militar do Norte.

Além disso, houve ações como atendimentos odontológicos, distribuição de cestas básicas, abertura de posto saúde pelo Dsei e outras medidas.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *