Última hora Polícia Política Cidades Esporte
Geral

PAS 2019: setor de serviços do Amapá tinha 1,3 mil empresas e empregava mais de 16 mil pessoas

Essas são algumas das informações da Pesquisa Anual de Serviços (PAS) 2019, divulgada pelo IBGE


Em 2019, o setor de serviços amapaense tinha 1,3 mil empresas, que geraram R$1,6 bilhão em receita bruta. O setor empregava 16,4 mil pessoas, que receberam R$ 369,0 milhões em salários, retiradas e outras remunerações.
Frente a 2018, o número de pessoas ocupadas no setor de serviços no Amapá reduziu 1,1%.

Entre 2010 e 2019, o segmento de Serviços de informação e comunicação foi o que mais perdeu participação, 9,9 pontos percentuais (p.p.), na geração de receita bruta. O segmento Serviços profissionais, administrativos e complementares concentrou a maior parcela da receita bruta (33,2%).

Na segunda posição, estava o setor de Serviços de informação e comunicação (29,2%). Na sequência vieram Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (16,7%), Serviços prestados principalmente às famílias (15,6%), Atividades imobiliárias (2,3%), Outras atividades de serviços (2,1%) e Serviços de manutenção e reparação (0,9%).

Entre 2010 e 2019, a média de ocupação do setor de serviços amapaense caiu de 14 para 12 pessoas por empresa. O segmento Serviços profissionais, administrativos e complementares tinha a maior média de ocupação: 18 trabalhadores por empresa.

O salário médio mensal recuou, passando de 1,8 salários mínimos, em 2010, para 1,7 s.m. em 2019. Serviços de informação e comunicação (3,0 s.m.), e Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (2,6 s.m.) continuaram a pagar, em 2019, salários acima da média do setor. Serviços de manutenção e reparação tiveram a média salarial mais baixa (1,1 s.m.).

 

Essas são algumas das informações da Pesquisa Anual de Serviços (PAS) 2019
33,2% da receita de Serviços vinham do segmento de Serviços profissionais, administrativos e complementares

Em 2019, no Amapá, o segmento de Serviços profissionais, administrativos e complementares foi responsável pela maior parte da receita operacional líquida do setor de Serviços, com 33,2% de participação.

Os Serviços de informação e comunicação ocupavam o primeiro lugar no ranking do setor de Serviços em 2010 e recuaram uma posição em 2019, com queda de 9,9 p.p. na participação da receita bruta.

Entre 2010 e 2019, Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio perderam 1,8 p.p.de participação na receita bruta dos serviços. Entretanto, mantiveram a terceira posição que ocupavam em 2010.

Os Serviços prestados principalmente às famílias, apesar de terem experimentado o segundo maior crescimento de participação no período entre 2010 e 2019 (2,8 p.p.), mantiveram a quarta posição no ranking, com 15,6% do total da receita bruta. A atividade de Serviços de alimentação foi a mais relevante desse segmento, com participação de 80,0% em 2019.

Os outros três segmentos do setor, compostos pelas Atividades imobiliárias, Serviços de manutenção e reparação e Outras atividades de serviços, somaram 5,3% da receita bruta, alta de 1,3 p.p. em dez anos. A maior parte desse ganho deve-se às Atividades imobiliárias – terceira atividade de todo o setor de serviços que mais cresceu no período, com um ganho de 1,7 p.p. em participação.

 

Serviços profissionais, administrativos e complementares detinham 57,5% das ocupações
As empresas prestadoras de serviços no Amapá, ocuparam um total de 16.374 pessoas em 2019, aumento de 1.357 pessoas em dez anos e crescimento de 9,0%. Serviços profissionais, administrativos e complementares empregou 57,5% do total, com 9.416 pessoas, representando um incremento de 1.344 trabalhadores no período de dez anos. Em seguida, Serviços prestados principalmente às famílias (21,9%), empregou 3,586 pessoas, aumento de 452 pessoas. O segmento de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (11,7%) ocupa a terceira posição, empregando 1.920 pessoas, com redução de 482 pessoas.

Serviços de informação e comunicação (4,8%) é o quarto no ranking com 783 pessoas, incremento de 163 pessoas entre 2010 e 2019. Finalmente, Serviços de manutenção e reparação (1,7%), Outras atividades de serviços (1,6%), e Atividades imobiliárias (0,8%) empregaram um total de 669 pessoas em 2019. Entre 2010 e 2019, esses segmentos tiveram, em conjunto, uma redução de 120 pessoas ocupadas. Atividades imobiliárias registrou a maior taxa de crescimento no número de pessoas ocupadas neste período, aumentando sua força de trabalho em 77,1%.

 

De 2010 para 2019, média de trabalhadores por empresa cai de 14 para 12 no Amapá
Entre 2010 e 2019, o número médio de pessoas ocupadas apresentou redução, passando de 14 para 12 pessoas. Entre os segmentos, Serviços de informação e comunicação e Outras atividades de serviços apresentaram aumento do número médio de pessoas ocupadas nas empresas, enquanto os demais tiveram redução no período.

Em média, o segmento de Serviços profissionais, administrativos e complementares foi o que apresentou o maior porte médio de empresas (18 pessoas).

A remuneração média dos trabalhadores nas empresas de serviços não financeiros, calculada em salários mínimos (s.m.), recuou de 1,8 s.m. para 1,7 s.m. entre 2010 e 2019. Serviços de informação e comunicação (3,0 s.m.) e Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (2,6 s.m.) continuaram a pagar, em 2019, salários acima da média do setor.


Comente