Nota 10

Assembleia de Deus no Amapá comemora 100 anos com vasta programação

A previsão dos organizadores é de concentrar aproximadamente 50 mil pessoas no sambódromo em todo o período da comemoração.

Compartilhe:

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus está comemorando 100 anos de fundação no Amapá e em virtude disso, realizará uma vasta programação de 24 a 28 de junho, com vigília, cultos, homenagens, caminhada, além de shows com a participação de preletores e cantores nacionais e internacionais, com destaque para a cantora Joelma di Sousa, representante amapaense neste grande evento.

O vice-presidente da Assembleia de Deus e coordenador da programação do Centenário, pastor Iaci Pelaes dos Reis, destaca o intenso trabalho da organização, iniciado há pouco mais de um ano, para que as comemorações do centenário sejam um grande sucesso. A previsão dos organizadores é de concentrar aproximadamente 50 mil pessoas no sambódromo em todo o período da comemoração.

A programação segue também em todos os municípios, com apresentações de orquestras, dança, teatro, shows musicais, exposições fotográficas e outras atrações, e se se estenderá até 21 de outubro. “Cerca de 180 mil pessoas congregam em Assembleias de Deus de todo o Estado do Amapá. Isso mostra o quanto estamos fortes. A formação religiosa é importante para a vida dessas pessoas”, enfatizou Pelaes.

Nesse contexto, ainda destaca-se que há mais de 5 mil obreiros (incluindo auxiliares, diáconos, presbíteros, missionários, evangelistas e pastores), com mais de 1.000 templos da Assembleia de Deus em todo estado, contando com todos os ministérios maiores.

A Assembleia de Deus é hoje a maior igreja evangélica do Brasil, com cerca de 20 milhões de membros e ao longo de todos esses anos, vem contribuindo com a formação das crianças, jovens e cidadãos através de manifestações culturais como dança, teatro, literatura, música, evangelização e outras atividades sociais.

A programação do Centenário da Assembleia de Deus tem apoio do Governo do Estado do Amapá e Prefeitura Municipal de Macapá.

História
A Assembleia de Deus foi a primeira igreja evangélica a estabelecer-se no Amapá. No ano de 1916, o evangelista Clímaco Bueno Aza, desembarcou no porto localizado nas proximidades da Fortaleza, trazendo bíblias e outros livros cristãos a fim de desenvolver seu trabalho de colportagem (vendedor que distribui mercadorias de porta em porta, geralmente livros religiosos).
No dia 27 de junho de 1917, o evangelista Manoel José de Matos Caravella dá continuidade ao trabalho iniciado pelo Clímaco Bueno Aza, fundando as Assembleias de Deus no Amapá. Na época, Macapá resumia-se a uma pequena vila com quase mil habitantes, dispostos no entorno do Forte. Ao longo de um século a igreja tem promovido o evangelismo, a paz, amor e a fraternidade em todos os municípios e tem desempenhado um importante papel espiritual, social e cultural. Para todos os fiéis, a comemoração é uma forma de agradecer a Deus e manifestar a identidade dos assembleianos.

O Templo Central – A Pioneira localiza-se na Rua Tiradentes, no centro de Macapá e pode comportar 1000 pessoas. A Catedral, na esquina da rua Presidente Vargas com Tiradentes está em construção e vai garantir segurança e conforto a 3 mil pessoas.

PROGRAMAÇÃO

23 de junho – Grande Vigília do
Centenário das Assembleias de Deus no Amapá
Local: Templo Central – A Pioneira
Hora: 19h às 1h

24 de junho – Marcha do Centenário
Local: saída do Complexo do Araxá / Hora: 7h

26 de junho – Sessão Solene
Local: Câmara dos Vereadores de Macapá
Hora: 9h

26 de junho – Culto de virada 24 horas com Deus
Local: Templo Sede – A Pioneira / Hora: 19h

27 de junho – Sessão Solene
Local: Assembleia Legislativa do Amapá / Hora: 9h

27 e 28 de junho – Celebração de Abertura do Centenário
Local: Sambódromo / Hora: 19h

As Noites Comemorativas no Sambódromo que ocorrerão
de 27 e 28 de junho, contarão com a participação especial
de preletores e cantores de nível nacional e internacional:
pastor Geziel Gomes, vindo direto dos Estados Unidos,
pastor Hidekazu Takayama do Paraná, cantor Marquinho Gomes, do Rio de Janeiro e a cantora amapaense Joelma di Sousa.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *