Nota 10

Bioparque da Amazônia completa 1 ano com programação cultural, esportiva, oficinas e homenagens

A programação iniciou no sábado, 24, com a competição do Pentatlo da Floresta, seguiu com a Feira da Biodiversidade, oficina de cultivo de orquídeas, Feira Literária, apresentação musical, peça teatral e acampamento no Biocamping.

Compartilhe:

No último domingo, 25, a Fundação Bioparque da Amazônia Arinaldo Gomes Barreto completou seu primeiro ano de aniversário, com homenagem ao primeiro funcionário do parque, Mestre Sacaca; e aos atuais servidores que trabalham no local.

No domingo ocorreu a solenidade de celebração com Sarau Poético Musical. Pela manhã, aconteceu o ciclismo na trilha dos guardas-parque, exposição fotográfica de orquídeas nativas do estado do Amapá e exposição de artes plásticas com o artista Ezequiel Amoras, realizando a pintura sob tela para os visitantes. A cerimônia de parabéns contou com a apresentação do grupo musical Kazumba Akelê, das pequenas poetisas Raissa Andrade e Eloá Velos, do grupo cultural Afrologia Tucuju, que fizeram uma declamação sobre o primeiro ano do parque, e uma homenagem ao mestre Sacaca.

O prefeito de Macapá, Clécio Luís, destacou o trabalho que a equipe do Bioparque vem realizando desde a sua reabertura, lembrou da história, do triste fechamento por 20 anos e sua felicidade em poder reabri-lo para todos. “Quando criança, pude vir aqui várias vezes passear, contemplar e aprender, mas a geração de minha filha não pôde ter esse privilégio. Foram 20 anos fechado para o público e de forma que não foi fácil, pois foram impedimentos de órgãos federais. Tivemos que fazer um grande esforço e muito trabalho, e também muita força de vontade para abri-lo”, pontuou.

“Cuidamos dos animais, das árvores, trilhas, aos poucos fomos arrumando os logradouros, melhorando a estrutura, dando uma nova concepção ao parque, mas vou dizer que também foi muita dedicação das pessoas que trabalham aqui, e, em 2019, conseguimos abrir. Sinto tanto orgulho quando as pessoas falam sobre o Bioparque, pois só escuto elogios daqui”, destacou o prefeito.

O Mestre Sacaca foi representado pelo seu neto Fábio Souza, que participou da cerimônia e ficou muito feliz com o carinho e homenagem que tiveram ao seu avô. “Seu trabalho sempre foi ligado à natureza, e o parque foi o local que ele mais se dedicou, com o cuidado com as plantas e animais. Sabemos que aqui tem um pouquinho dele em cada planta, cada cantinho daqui”, disse.

O Bioparque ganhou de presente do artista plástico Gilberto Almeida duas mudas de sumaúma, que vieram das sementes da centenária sumaúma que fica em frente ao Ministério Público do Estado, no Araxá, para fazer parte do acervo da flora do parque. Na saída, os visitantes no domingo puderam levar para casa uma mudinha de planta medicinal do mestre Sacaca, como presente pelo aniversário do Bioparque.

História

Depois de quase 20 anos fechado, o antigo Parque Zoobotânico foi reaberto ao público com a denominação de Bioparque da Amazônia pela Prefeitura de Macapá, no dia 25 de outubro de 2019.

Mestre Sacaca

Raimundo dos Santos Souza, o mestre Sacaca, foi fundador e o primeiro funcionário do antigo Parque Florestal de Macapá, hoje Bioparque da Amazônia. O trabalho de Sacaca com as plantas foi referência para muitos pesquisadores que vinham estudar a fauna e a flora amazônica.

Uma dessas pessoas foi o doutor Valdomiro Gomes, que ensinou Sacaca a manusear e a tirar o princípio ativo das plantas. Daí em diante, Sacaca começou a utilizar o conhecimento empírico nas atividades científicas que aprendeu com os pesquisadores, tornando-se muito famoso no Amapá, ao ponto de ser chamado de doutor da floresta.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *