Nota 10

‘Curta a Ideia’! Estudantes falam de bullying em festival de curta metragem

Numa sala de cinema, 27 curtas metragens foram exibidos, com a temática bullying. Vídeos foram produzidos por estudantes da rede estadual.

Compartilhe:
Quais são as consequências do bullying no ambiente escolar? Como se sente a vítima de bullying? Questionamentos como esses foram retratados em 27 curtas-metragens produzidos por estudantes de doze escolas da rede estadual amapaense. Os trabalhos foram exibidos nesta quarta-feira, 8, no 1º Festival “Curta a Ideia”, em uma sala de cinema de um shopping em Macapá.

O festival é realizado pela União dos Estudantes dos Cursos Secundários do Amapá (Uecsa), com o apoio do Governo do Amapá, da deputada estadual Marília Góes (PDT), e parceria do Macapá Shopping e Moviecom Cinemas. Todos os estudantes envolvidos ganharam certificados de participação e os três melhores trabalhos receberam premiação em dinheiro: R$ 1,5 mil para o primeiro lugar, R$ 1 mil para o segundo e R$ 500 para o terceiro.

 

 

O curta “Bad Day”, produzido pelos estudantes Kássio Borges, Silas Santos, Cassiane Maranhão, Pedro Araújo e Paulo Araújo, foi o grande vencedor do festival. Os alunos da Escola Estadual Alexandre Vaz Tavares retrataram o dia a dia de uma estudante vítima de bullying, com o objetivo de mostrar ao público como este ato pode ocasionar a morte de pessoas que sofrem desse abuso.

“’Bad Day’ significa dia ruim. No decorrer do filme, a expressão da estudante vai mudando devido ao que ocorre com ela na escola, que prejudica seu emocional e a entristece, ao ponto de até pensar em suicídio. Nossa intenção é mostrar a realidade de como as pessoas sofrem com o bullying”, explicou Silas, um dos idealizadores do curta premiado.

O 2° lugar foi conquistado pelos estudantes da escola Antônio Lima Neto, Francys Matheus Santos e Jamilly Martins, com a produção “Bullying na Escola”. E, em 3° lugar ficou o vídeo “Diga Basta: Ninguém vai me mudar”, produzido por Beatriz Santos e Ítalo Fernandes, da escola Almirante Barroso.

A secretária de Estado da Educação, Goreth Sousa, esteve presente à cerimônia de premiação e destacou a importância desses trabalhos que trazem à reflexão o sofrimento e os efeitos da prática do bullying nas escolas.

“É importante o jovem assumir seu protagonismo na política educacional, na sua vida e também na promoção da paz. Precisamos abrir as portas das nossas escolas para a comunidade do entorno e fazer parceria com a cultura para termos ambientes escolares mais saudáveis”, falou.

 

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *