Nota 10

Filmes estrelados por moradores da Baixada Pará mostram cotidiano e mudanças na comunidade

Ações mostra integra o projeto Colorindo o Futuro – Baixada Pará, de autoria do Ministério Público do Amapá (MP-AP).

Compartilhe:

á se imaginou projetado no telão de um cinema a céu aberto, contando a história do lugar onde você mora? Já se imaginou vendo, literalmente, um filme passar na sua frente, mostrando a realidade da sua comunidade e o que, juntos, os moradores foram capazes de transformar? São perguntas que acharam respostas dentro do projeto Colorindo o Futuro – Baixada Pará, de autoria do Ministério Público do Amapá (MP-AP).
Na noite desta sexta-feira (29), um imenso telão foi montado na Passagem Santa Fé, área antes conhecida como reduto do tráfico, e que recebeu centenas de pessoas que foram assistir a Mostra “Curta Baixada Pará em 1 Minuto”.

Os filmes são o resultado da Oficina de Audiovisual, que transformou a Baixada Pará em um cenário a céu aberto, onde os protagonistas são os moradores, que criaram os enredos, dividiram os roteiros, direção e produção com os profissionais do audiovisual, e foram os atores dos filmes.
A situação do lixo, da água, os conflitos sociais, as esperanças, acessibilidade e sonhos de quem mora na Baixada Pará foram retratados de forma cinematográfica, mas com toda essência necessária, mostrando as dificuldades e revelando as mudanças apresentadas a partir da união dos moradores e da intervenção do Ministério Público do Amapá e outros parceiros.

O objetivo central do projeto é incentivar práticas positivas na comunidade, fazer com que insiram em suas rotinas a preservação do meio ambiente e do lugar onde vivem, que é uma área de ressaca, atualmente considerada consolidada, mas que precisa ser cuidada para continuar a cumprir a função ambiental.

E, através desta meta, promover justiça, bem estar, qualidade de vida, ajudar na profissionalização e melhoria da autoestima. Para chegar na etapa da Mostra, foi necessário uma série de ações junto com a comunidade onde o MP-AP esteve presente desde o mês de maio. A exibição dos filmes é a etapa em que são trabalhadas a valorização da história e melhoria da autoestima dos moradores.

A primeira ação – limpeza – aconteceu em parceria com a Prefeitura de Macapá (PMM); em seguida foram promovidas as capacitações nas áreas de produção de alimentos, hidráulica, carpintaria, fotografia e edição de vídeo, em parceria com o SESI-SENAI e Prodap. O SESI-SENAI levou também os atendimentos de saúde, com o apoio do Exército e Guarda Ambiental, e em agosto foi realizada a Oficina de Audiovisual, onde os filmes foram produzidos.

Na última semana, o projeto intensificou as atividades de educação ambiental e incentivo à geração de renda, e está promovendo seis oficinas de reciclagem, para aproveitamento de resíduos que são jogados no lixo, mas que podem ser reutilizados e virar alternativa de renda evitando a poluição de vias e área de ressaca.

Produção dos filmes
A oficina de audiovisual e a mostra foram inspirados em uma experiência no município de Santana, em 2005. Para produzir os filmes, os moradores contaram com o suporte de profissionais do audiovisual coordenados pelo ator e diretor Thomé Azevedo, e durante uma semana estiveram dentro da Baixada Pará, estimulando para que contassem suas histórias, desejos, conquistas, expectativas, críticas e realidade, para que se transformassem em filmes de um minuto.

O cenário e locação foram a própria Baixada, e os moradores viraram atores, produtores e diretores de suas histórias e sonhos. Na Mostra, os filmes exibidos e os protagonistas relataram um pouco sobre a experiência inédita para cada um deles.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *