Polícia

“Deixamos o comodismo e agora saímos pras ruas”, diz delegado acerca de operações da Polícia Civil’

Delegado Fábio Araújo , titular do Departamento de Polícia Especializada, contabiliza 1.300 prisões, até agora, em 2019.

Compartilhe:

Douglas Lima
Da Redação

O titular do Departamento de Polícia Especializada, delegado Fábio Araújo, mostrou na manhã deste sábado, 10, no programa ‘Togas e Becas’ (Diário FM 90,9), que a Polícia Civil do Amapá vem implementando, desde 2018, uma dinâmica de operações, deixando de lado o antigo comodismo de ficar em gabinete elaborando inquéritos para encaminhá-los ao Ministério Público.

“Desse ano pra cá, achamos que deveríamos dar um passo além, e esse passo seria analisar os casos mais criteriosamente, saindo pras ruas, e tomando a iniciativa de solicitar mandados de prisão na Justiça e ser o executor desses mandados, e é o que estamos fazendo”, descreveu Fábio Araújo.

O delegado conferiu que no ano passado a Polícia Civil realizou 33 operações, conseguindo efetuar 1.128 prisões, sem auxílio da Polícia Militar. Neste ano de 2019, informou o delegado, já foram feitas 1.300 prisões em mais de 30 operações.

Fábio Araújo, no estúdio da Diário FM, estava acompanhado da delegada Rosilene Sena, uma das coordenadoras da Operação Marias, levada a efeito no dia em que a Lei Maria da Penha completou 13 anos de vigência, 7 de agosto.


Rosilene informou que dos 45 mandados de prisão expedidos pela Justiça para cumprimento no aniversário da Lei Maria da Penha, foram cumpridos 37.

A delegada, explicando que não pertence à Delegacia da Mulher, disse que através de informações obtidas por colegas desse órgão especializado, a Lei Maria da Penha pode não ter reduzido os casos de violência contra o sexo feminino, mas as vítimas têm saído de casa, conscientemente, para denunciar os seus agressores, sem o medo de antigamente.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *