Última hora Polícia Política Cidades Esporte
Polícia

Delegados detalham investigação que resultou na prisão de matadores de policial militar

Delegados da Polícia Civil detalharam investigação que resultou nas prisões de Jahmerson Alexsande, de 25 anos, e Leandro Nascimento, de 23 anos, o ‘Nai’, acusados de envolvimento na morte do policial militar Ranolfo da Silva Alcântara, de 30 anos


Elden Carlos
Editor-chefe

 

O delegado-geral, em exercício, da Polícia Civil, Fábio Araújo, reuniu a imprensa na manhã desta sexta-feira (07) para detalhar a investigação que resultou nas prisões de Jahmerson Alexsande Silva Benjó, de 25 anos, e Leandro Nascimento da Silva, de 23 anos, o ‘Nai’, acusados de envolvimento no assalto que resultou na morte do policial militar Ranolfo da Silva Alcântara, de 30 anos, ocorrido na tarde de quarta-feira (05) ,a Avenida Padre Júlio, bairro Santa Rita, zona sul de Macapá.

 

Também participaram da coletiva os delegados Rogério Campos, diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE) e Celson Pacheco, titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra o Patrimônio (DECCP).

 

De acordo com Fábio Araújo, inicialmente a investigação se voltou para a identificação dos envolvidos no crime, através da análise das imagens das câmeras de segurança do laboratório e das denúncias recebidas. Foi através dessas imagens que a polícia conseguiu identificar um dos envolvidos que estava cumprindo pena no regime extramuro, ou seja, ele deixava a cadeia durante o dia para ‘trabalhar’.

 

“Esse detento saia pela manhã para trabalhar e retornava à noite para o Iapen. Ele aparece nas imagens, inclusive, vestido com a calça do uniforme da empresa onde ele prestava serviço para remir sua pena. Fomos ao Iapen e constatamos que naquele dia haviam saído 40 detentos para atividades externas, mas dois deles não haviam regressado. Seguimos para o local onde esse interno deveria estar prestando trabalho. Lá, tivemos a certeza de que era ele. Também descobrimos que ambos os envolvidos já haviam atuado juntos em outros crimes. Com os dois devidamente identificados, passamos a diligenciar de forma mais precisa nos endereços de parentes”, explicou o delegado.

 

Leandro Nascimento, ao saber que estava sendo procurado, resolveu se apresentar com advogado no Ciosp do Pacoval.  Jahmerson Alexsande, que teria sido o autor do disparo, foi preso na casa de parentes no bairro Fonte Nova, em Santana, região metropolitana de Macapá.

Delegado afirma que ‘silêncio’ de acusados não ameaça robustez de provas colhidas

 

O delegado Celson Pacheco, que preside o inquérito policial, explicou que, mesmo com as equipes em diligências nas ruas, ainda na madrugada do dia seguinte representou pelas prisões preventivas dos envolvidos. Além disso, durante as diligências, uma segunda moto que foi roubada pelos acusados durante a fuga foi recuperada. O veículo estava sendo utilizado pelos acusados e foi encontrado abandonado em uma área de mata.

 

“Durante a tomada de depoimento eles usaram o direito constitucional de se manterem calados. Mas, é importante frisar que não precisamos da confissão deles. Essa confissão serviria apenas para abrandar a pena deles, em caso de condenação. Todas as provas materiais e testemunhais colhidos nas diligências robusteceram o inquérito. Então, estamos com os trabalhos bastante adiantados e no prazo de dez dias deveremos concluir o inquérito e encaminhar para o Ministério Público do Amapá”, declarou Celson Pacheco.

 

Os dois acusados foram indiciados pelos crimes de latrocínio, organização criminosa e porte ilegal de arma de fogo. Eles passaram por exame de corpo delito na Polícia Técnico-Científica (Politec) antes de serem encaminhados para o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen).

 

Com informações e imagens: Ascom/PC

 


Comente