Polícia

Empreendedora é assassinada em Macapá; policial Civil é preso suspeito de feminicídio

Caso é apurado pela Delegacia Especializada em Crimes Contra Mulher (DECCM). Delegada Sandra Dantas fazia oitiva de testemunhas nesta manhã.

Compartilhe:

Elden Carlos
Editor

A empreendedora Ana Kátia Almeida da Silva, de 46 anos, morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Sul, para onde foi levada na madrugada desta quarta-feira (08), por um filho dela, após ter sido baleada nas costas no interior de um carro estacionado na Avenida Lua, bairro Jardim Marco Zero, zona sul de Macapá.

O Centro Integrado em Operações da Defesa Social (Ciodes) registrou a ocorrência a 1h52. Equipes do 1º Batalhão de Polícia Militar (1º BPM) e Batalhão de Operações Especiais (Bope) foram deslocadas para área. O policial Civil Leandro da Silva Freitas, de 29 anos, foi preso em flagrante suspeito de ser o autor do disparo. Ele também estava alvejado no ombro.

Segundo o Ciodes, testemunhas relataram que estava havendo uma festa em uma residência, e que o policial e a empreendedora deixaram o local, seguindo até o carro dele. O boletim também descreve que Leandro teria efetuado um disparo pelas costas de Ana Kátia. O filho dela, ao perceber o disparo, entrou em luta corporal com o policial, desarmando-o.

No documento oficial não é citado o momento e nem quem alvejou Leandro no ombro. Ele foi socorrido e encaminhado ao Hospital de Emergências por uma equipe do Corpo de Bombeiros Militar (CBM).

Ana Kátia foi socorrida e levada pelo filho à unidade de saúde onde não resistiu. O corpo dela foi removido para o Departamento de Medicina Legal (DML) da Polícia Técnico-Científica (Politec) para ser necropsiado. Inicialmente o caso é tratado como feminicídio.

A assessoria da Polícia Civil informou que a delegada Sandra Dantas, coordenadora da Delegacia Especializada em Crimes Contra Mulher (DECCM) fazia a oitiva de algumas testemunhas na manhã desta quarta-feira, e que à tarde ela deverá se pronunciar sobre a ocorrência.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *