Polícia

Forças de segurança cumprem decreto governamental e prendem 30 pessoas no Amapá

Prisões ocorreram em decorrência da desobediência dessas pessoas ao decreto governamental que restringe horário de funcionamento de estabelecimentos comerciais e outras medidas.

Compartilhe:

Lana Caroline

Da Redação

 

A Polícia Militar (PM) desmobilizou uma manifestação marcada para acontecer no último sábado (28), considerando que haveria aglomeração de pessoas em Macapá, aumentando o risco de transmissão do coronavírus (Covid-19). A manifestação, marcada por trabalhadores de vários seguimentos, foi convocada pelas redes sociais.

A PM, com apoio da Polícia Civil e Guarda Municipal, interveio por meio da Operação Covid, que busca dar cumprimento a uma recomendação do Ministério Público do Estado para o cumprimento do decreto governamental nº 1414 – em vigor até o dia 3 de abril – que restringe horários e funcionamento de atividades comerciais, religiosas e públicas no Estado.

O comandante-geral da Polícia Militar do Amapá, coronel Paulo Matias, fez um balanço da operação, considerando o período compreendido entre os dias 22 à 28 de março.

“Tivemos cerca de 354 estabelecimentos fiscalizados, mais de 179 pontos de aglomerações nas praças, enfim, todas essas pessoas foram orientadas e conduzidas para suas residências para que não haja aglomeração. Mesmo assim, precisamos usar do decreto porque algumas pessoas não atenderam essas orientações e em descumprimento e desordem ao decreto, fizemos prisões de 30 delas”, afirmou.

Essas prisões aconteceram em decorrência a estabelecimentos abertos, descumprindo o decreto, e também de pessoas estarem aglomeradas em locais públicos, que mesmo sendo orientadas a retornar à suas casas, resistiram à ordem policial.

Sobre uma possível manifestação nesta segunda-feira (30), articulada também pelas redes sociais, no município de Santana, o coronel explicou que foi feito um planejamento que já está em execução no município e que o local, onde possivelmente ocorra a manifestação, já está sendo fiscalizado.

“Na realidade, fizemos um planejamento que está em execução no município de Santana nesse momento, que é o isolamento de principais pontos aonde estava previsto a aglomeração de pessoas e veículos, bem como fizemos uma barreira nas rodovias Duca Serra e JK. Caso essa manifestação saísse de dentro do município de Santana, nós impediríamos nas barreiras. Até o presente momento, acredito que não haverá, mas caso haja insistência, vamos fazer como fizemos aqui em Macapá, orientar para que essa ideia acabe e cada um possa ir para sua casa. Se os veículos estiverem irregulares, serão autuados e se for o caso, recolher e conduzir ao órgão de trânsito de Santana”, informou.

Sobre a segurança dos profissionais que estão trabalhando na linha de frente em combate ao coronavírus, principalmente, os servidores da segurança pública, Paulo Matias informou que o governo do Estado liberou uma verba referente à compra de EPI’s (Equipamento de Proteção Individual) para os servidores e que esses materiais chegarão, possivelmente, nesta quarta-feira (01).

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *