Polícia

Justiça liberta motorista de carro que deu fuga a assassinos no bairro Congós

Motorista disse que ‘prestou serviço’ para pagar uma dívida de R$ 2 mil que ele tinha com traficantes. Matheus de Matos, de 23 anos, confessou ser usuário de cocaína.

Compartilhe:

O juiz Moises Ferreira Diniz, do Núcleo de Garantias da Comarca de Macapá, não converteu em preventiva a prisão em flagrante do motorista Matheus de Matos Gonçalves, de 23 anos, que foi preso na noite de terça-feira (03) na rodovia Duca Serra, Região Metropolitana de Macapá, após ter dado fuga aos dois executores de Alexandro Oliveira Ribeiro, de 24 anos, que foi executado a tiros dentro de um salão de beleza localizado na 7ª Avenida do bairro Congós, zona sul da capital.

O juiz, no entanto, determinou que Matheus seja monitorado pelos próximos cem dias por meio de tornozeleira eletrônica, além de aplicar outras condicionantes. O magistrado levou em consideração a primariedade do preso, possuir endereço fixo e ocupação comprovada.

A liberdade foi concedida durante audiência de custódia realizada na manhã de quarta-feira (04) no Fórum de Macapá.

 

Depoimento

Em seu depoimento, Matheus confessou ser usuário de cocaína. Ele disse ter contraído uma dívida de R$ 2 mil com traficantes. No dia do crime, o motorista disse ter recebido – por volta de 18h – a ligação de um homem que se identificou como ‘Fla’.

Matheus acredita que a ligação foi feita pelo traficante de dentro da cadeia. Fla teria determinado que o motorista levasse os dois executores até o local do crime e depois os deixasse no mesmo local. O pagamento seria o perdão da dívida.


Matheus narra que foi pegar a namorada no trabalho dela, por volta de 19h, e que eles seguiram até o Igarapé da Fortaleza onde os bandidos embarcaram. Eles vieram para Macapá e a dupla desceu às proximidades do salão.

O motorista ficou às proximidades e percebeu quando os dois homens chegaram correndo e determinando que ele acelerasse. A namorada de Matheus contou a mesma versão. Ele, no entanto, revelou o que havia feito somente depois para a namorada. A polícia tenta identificar os autores da execução.

O Diário apurou que a vítima – Alexandro Ribeiro – o ‘Menor P’, era foragido do estado do Maranhão (MA) onde respondia a crimes como roubo e homicídio.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *