Polícia

Mototaxista é encontrado morto dentro de poço

O principal suspeito de cometer o crime foi identificado como Adriano Farias Pureza, de 34 anos, o ‘Calanguinho’. Ele foi preso por uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope), após um intenso trabalho de investigação realizado de forma conjunta pelo serviço reservado de inteligência do Bope, Delegacia Especializada em Crimes Contra Pessoa (Decipe) e Núcleo de Operações e Inteligência (NOI).

Compartilhe:

T erminou na tarde de segunda-feira (11) as buscas pelo mototaxista Silvan dos Santos Farias, de 40 anos, que foi visto pela última vez no dia 25 de dezembro, durante um almoço familiar. Silvan foi assassinado e o corpo dele jogado dentro de um poço em uma propriedade particular localizada na zona Oeste da capital.

 

O principal suspeito de cometer o crime foi identificado como Adriano Farias Pureza, de 34 anos, o ‘Calanguinho’. Ele foi preso por uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope), após um intenso trabalho de investigação realizado de forma conjunta pelo serviço reservado de inteligência do Bope, Delegacia Especializada em Crimes Contra Pessoa (Decipe) e Núcleo de Operações e Inteligência (NOI).

Foi o próprio Calanguinho quem apontou o local onde o corpo estava desovado. A área é de difícil acesso. Dentro do poço havia uma cobertura de vegetação que ele jogou e um produto químico usado para tentar evitar que o odor do processo de decomposição foi percebido.

A moto de Silvan foi encontrada após seu desaparecimento na praça da Conceição, bairro do Trem, zona Sul de Macapá. Nela estava o capacete da vítima e a chave foi deixada no contato. A polícia conseguiu imagens de câmeras de segurança na região que ajudaram na identificação do suspeito.

Segundo Adriano Farias, ele recebeu ordens de dentro do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) para eliminar o mototaxista. Ele alega que Silvan estaria flertando a companheira de um presidiário que determinou a eliminação da vítima. Essa versão é investigada pela polícia.


O homem também contou que se aproximou da vítima simulando uma corrida. Eles seguiram até o ramal onde fica o terreno, no bairro Marabaixo, onde o mototaxista acabou esfaqueado pelas costas. O acusado arrastou o corpo até o poço, na área de mata, e o desovou.

“Ele (Calanguinho) contou que transportou o corpo em um carrinho de mão até o poço. Depois, cobriu com vegetação e despejou um líquido (gasolina) para disfarçar o cheiro. A localização só foi possível com a confissão dele”, disse o delegado Alan Moutinho, do NOI.

O Corpo de Bombeiros Militar (CBM) atuou na retirada do corpo do fundo do poço. A operação de resgate foi complexa pelas condições do ambiente.

Reportagem e fotos: Jair Zemberg

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *