Polícia

Mulher e filha são mantidas reféns no Residencial São José por um detento durante perseguição policial

Após duas horas de negociações o autor se entregou. Um comparsa dele foi preso durante a ação; outros dois conseguiram fugir e policiais do Bope fazem diligências para localizá-los.

Compartilhe:

Um detento do regime aberto domiciliar manteve reféns por mais de duas horas na tarde desta sexta-feira (19) uma mulher de 42 anos e a filha dela de 19 no 3º andar do bloco 9 do apartamento São José, localizado na Zona Sul de Macapá.

A reportagem do Diário do Amapá acompanhou a ação desde o início. Perseguido por policiais de uma equipe da Rotam do Batalhão de Operações Especiais (Bope) o homem, de posse de uma pistola calibre 9mm rendeu a família, que estava fazendo um churrasco na entrada do bloco. “Nós conseguimos evitar que o marido também adentrasse o prédio, mas mãe e filha foram empurrados até o apartamento deles, sob a mira da arma”, contou um policial envolvido na ação.

Antes da chegada do grupo de gerenciamento de crise do Bope, por meio de áudio/vídeo obtido com exclusividade pela reportagem do Diário do Amapá o bandido mostra desespero: “O Bope tai na frente querendo me matar, por favor, mande a imprensa aqui no São José (…) e um advogado também, porque o Bope está aqui na sala da casa. Mandem também advogado, tenho 16 balas mais um carregador se invadir…”, ameaçou.

A mulher, que não teve o nome revelado, também gravou um vídeo pedindo socorro. “Por favor, eu to com um bandido aqui dentro de casa, ele invadiu e ta fazendo eu a minha filha de refém; ele disse que não vai fazer nada contra nós, só quer a presença da mãe dele e da imprensa. Se alguém souber de alguém da imprensa chame pra se ele se entregar, urgente, porque o bope está aqui na sala de casa; moro na quadra 05, bloco 9, apartamento 403”, pediu.

O trabalho da equipe de gerenciamento de crise durou mais de duas horas, mas os policiais do Bope conseguiram convencer o homem a se entregar sem atender qualquer exigência. Identificado posteriormente como Carlinhos de Oliveira Gemaque Junior, 31 anos, vulgo maconha, ele, juntamente com dois comparsas, um até agora não identificado e outro, conhecido como Jusuel Ferreira Texeiras, 25 anos, vulgo jesuca, também detento do Iapen no regime semiaberto, foram apresentados ao delegado Luan Barbosa, plantonista do Ciosp do Pacoval, onde também foi entregue a arma usada no crime. Eles estão neste momento sendo autuados em flagrante.

Policiais do Bope estão fazendo diligências para localizar o outro cúmplice, que conseguiu fugir em um carro Celta de cor prata.

Reportagem e fotos: Jair Zermberg

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *