Polícia

Operação Anjos da Guarda; médico é preso pela PF acusado de pedofilia no Amapá

Médico – que não teve o nome revelado – foi preso na manhã desta sexta-feira (13) acusado de envolvimento com crime de pedofilia. Prisão foi confirmada pela assessoria da PF.

Compartilhe:

A Polícia Federal (PF), no Amapá, deflagra na manhã desta sexta-feira (13) a operação Anjos da Guarda, que investiga uma rede de pedofilia no estado. Segundo a assessoria da PF, um médico já foi preso e conduzido à Superintendência da PF, no bairro Infraero, onde será ouvido em depoimento. Um professor de educação física e um servidor público também estão com ordens de prisão decretadas e são considerados foragidos.

A ação é fruto de uma investigação iniciada pela PF em 2009, para investigar crimes de pedofilia, que recebeu o nome de “Operação Inocentes”.

Naquela ocasião, foram iniciados trabalhos que culminaram na identificação das condutas de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes na capital amapaense. A investida criminosa, comprovada pela polícia, apontou para atuação de um ‘aliciador’ de menores, que se aproximava de crianças com o intuito de levá-las para que sofressem abusos cometidos por adultos.

Identificados os envolvidos e comprovadas suas condutas, todos foram indiciados pela PF, denunciados e condenados pelos crimes de violação sexual mediante fraude e estupro de vulnerável, cujas penas somadas podem passar de 15 anos de reclusão.

A operação desta sexta foi para prender um envolvido, que já tinha contra si mandado expedido pela Justiça. Após a prisão, ele foi conduzido à Superintendência Regional da PF em Macapá. Segundo a PF, após prestar depoimento ele passará por exame de corpo delito e será encaminhado para o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen).

Reportagem: Elden Carlos

Foto: Divulgação/PF/AP

 
Compartilhe:

Tópicos: