Última hora Polícia Política Cidades Esporte
Polícia

Servidor do MPF é morto de forma misteriosa

O crime aconteceu no cruzamento da avenida dos Aimorés com a rua Hamilton Silva, no bairro Beirol, zona sul de Macapá.


Jair Zemberg
Da Redação

 

Por volta das 22h40min desta sexta-feira (24), aconteceu um homicídio envolto a mistério, e a vítima foi Fernando Marcel Lima Brasil, de 57 anos, servidor público federal.

O crime aconteceu no cruzamento da avenida dos Aimorés com a rua Hamilton Silva, no bairro Beirol, zona sul de Macapá.

 

Segundo informações de testemunhas, o carro de cor preta de placa NEW 7875, parou,  ouviu-se dois disparos de arma de fogo, e em seguida um indivíduo desceu correndo pela porta traseira atrás do motorista, e seguiu em fuga pela rua Hamilton Silva, beirando o canal. A fuga inclusive foi registrada por imagens de câmeras de segurança dos prédios ao longo da rua.

Populares acionaram a Polícia Militar e o SAMU, que constatou o óbito de Fernando Marcel. Com a chegada ao local da ocorrência de uma equipe da POLITEC, e também da polícia civil, da Delegacia de Homicídios, foi constatado que a vítima foi alvejada por tiros de pistola calibre 9 mm, na região da nuca.

 

Chama atenção da polícia o calibre da arma usada no crime, e o fato de o atirador estar sozinho com o motorista, e no banco traseiro do carro. Em poucos crimes de homicídios em Macapá os assassinos usaram pistola 9 mm.

Segundo informações dos familiares de Fernando, ele era usuário de drogas, inclusive já havia passado por tratamento em clínica para dependentes químicos, e ele teria recebido o pagamento do salário dele na última terça-feira (22). o celular dele não foi levado, ainda estava com ele a porta-cédulas com os cartões de crédito, mas dinheiro não foi encontrado.

 

O delegado Luiz Carlos, solicitou para o local a presença de um perito papiloscopista, e após os trabalhos da perita, foram constatadas marcas digitais, provavelmente do assassino, na parte traseira do veículo do Fernando, exatamente por onde ele desceu correndo.

“Nós vamos fazer a coleta das digitais encontradas pelo trabalho de perícia, e assim tentar identificar o criminoso, com a prisão do assassino esclarecer o crime”, explicou em entrevista o Delegado.

O corpo do servidor público federal, foi removido para o Instituto de Medicina Legal- DML.


Comente