Polícia

Técnico que cobrava dinheiro e sexo para ‘furar’ fila de cirurgia é condenado a 3 anos de prisão

Josiney Santos, de 43 anos, cobrava dinheiro e sexo de pacientes que aguardavam por cirurgias no Hospital de Emergências. Mulheres eram assediadas dentro do hospital. Ele também perdeu a função pública.

Compartilhe:

O instrumentador cirúrgico Josiney Santos da Silva, de 43 anos, foi condenado a 3 anos de prisão pelos crimes de assédio sexual, concussão [receber vantagem indevida em razão da função pública] e corrupção passiva. A sentença foi dada pelo juiz Ailton Vidal, da 2ª Vara Criminal de Macapá.

Josiney e uma técnica em enfermagem foram presos em flagrante em fevereiro de 2018 após a denúncia de uma paciente do Hospital de Emergências (HE) de Macapá, que aguardava por uma cirurgia.


Ela denunciou Josiney à direção do hospital depois que ele cobrou R$ 1,2 mil para adiantar o nome dela na fila de espera. Conversas via Whatsapp revelaram que como a mulher não tinha todo o dinheiro, o técnico pediu o pagamento de R$ 800 em espécie. Os R$ 400 restantes ela pagaria com ‘serviços sexuais”. A direção do HE levou a paciente até a delegacia onde o caso foi registrado.

Por falta de provas a técnica de enfermagem, que também foi presa há época, acabou absolvida. Ambos respondiam ao processo em liberdade. O juiz acabou convertendo a sentença de prisão em prestação de serviço comunitário. Vidal também determinou a perda da função pública.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *