Política Nacional

Brasil pode se tornar aliado prioritário extra-Otan; saiba o que isso significa

O governo norte-americano confirmou a intenção de incluir o Brasil durante encontro entre os dois presidentes. Eles ainda não oficializaram, porém, os termos da medida.

Compartilhe:

O presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou que pretende tornar o Brasil um aliado prioritário extra-Otan dos Estados Unidos, após reunião com o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, em Washington.

Neste rol, estão países como Israel, Austrália e Argentina – o único sul-americano a integrar a lista. O governo norte-americano confirmou a intenção de incluir o Brasil durante encontro entre os dois presidentes. Eles ainda não oficializaram, porém, os termos da medida.

O que é um aliado prioritário extra-Otan?
Ser um aliado prioritário extra-Otan aproxima militarmente o Brasil dos Estados Unidos. Ao entrar nessa classificação, o Brasil consegue:
* Tornar-se comprador preferencial de equipamentos e tecnologia militares dos EUA;
* Participar de leilões organizados pelo Pentágono para vender produtos militares;
* Ganhar prioridade para promover treinamentos militares com as Forças Armadas norte-americanas.
* Ao todo, 17 países receberam essa classificação do governo norte-americano. Confira na arte abaixo.

O professor de relações internacionais da Universidade de Brasília (UnB) Juliano Cortinhas diz que os benefícios dessa parceria são mais comerciais do que essencialmente militares.

“O Brasil não tem ameaças concretas à sua soberania. E mesmo se pensarmos em termos comerciais há muitos benefícios, porque o país não tem estratégia para se inserir no mercado de equipamentos de defesa”, avaliou Cortinhas.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *