Política Nacional

Covid: estados vão apelar ao governo federal para que adote medidas restritivas em todo o país

Informação é do presidente do Fórum de Governadores, Wellington Dias, governador do Piauí. Segundo ele, 20 estados e o Distrito Federal já estão ou estão prestes a entrar em colapso.

Compartilhe:

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), presidente do Fórum de Governadores, afirmou que os governos estaduais vão fazer um apelo ao Ministério da Saúde para que determine medidas restritivas em todo o país a fim de conter a expansão da Covid-19.

Segundo Wellington Dias, os sistemas de saúde de 20 estados e o Distrito Federal estão no limite ou já entraram em colapso. “E não há como um estado socorrer o outro neste momento. Por isso, os governadores estão apelando ao Ministério da Saúde para que ordene medidas restritivas em todo o país”

Ao menos 12 estados e o Distrito Federal adotaram — ou anunciaram que vão adotar — novas restrições para conter o crescimento de casos e de mortes por Covid-19.
O Brasil enfrenta aumento sem precedentes do número de casos e de mortes pela doença, o que pressiona unidades de saúde na rede estadual e municipal. Estados relatam situação crítica em razão da ocupação recorde de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Sete estados anunciaram restrição de atividades e toque de recolher: Bahia, Ceará, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio Grande do Norte e São Paulo. Outros cinco (Acre, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Santa Catarina) mais o Distrito Federal anunciaram ou mantiveram endurecimento de restrições a comércio e a serviços não essenciais.

Bolsonaro

Nesta sexta, o presidente Jair Bolsonaro afirmou durante viagem ao Ceará que o governador que decidir “fechar o estado” é quem deve bancar o pagamento do auxílio emergencial.

Questionado sobre o assunto, Wellington Dias disse não acreditar que o Congresso aprovará a retomada do auxílio seguindo esse tipo de critério.

“Vinte estados e o Distrito Federal estão à beira de um colapso com falta de leitos, hospitais numa situação de superlotação, óbitos elevados, um país que ultrapassou 250 mil óbitos. O Congresso Nacional aprovará o auxílio emergencial para garantir, como sempre foi, para todos os brasileiros”, afirmou.

Para Wellington Dias, os governadores estão adotando medidas restritivas que “levam em conta a situação do emprego, mas a preocupação com a vida”. O objetivo, afirmou, deve ser evitar a transmissão ainda maior do novo coronavírus.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *