Política Nacional

Desde 2003, Bebianno é o segundo ministro que caiu mais rápido; primeiro foi Jucá

Jucá deixou o cargo de ministro do Planejamento em 2016, uma semana e meia depois do início do governo Temer

Compartilhe:

Demitido nesta segunda-feira (18) pelo presidente Jair Bolsonaro, Gustavo Bebianno é o segundo ministro que mais rapidamente caiu após o ínicio de um governo desde o primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2006).

Gustavo Bebianno foi exonerado 48 dias após ter tomado posse. No governo Temer, Romero Jucá deixou o posto de ministro do Planejamento uma semana e meia depois de assumir.

Jucá caiu em maio de 2016, 11 dias após ter sido nomeado por Temer. A saída se deu no mesmo dia em que o jornal “Folha de S.Paulo” divulgou uma conversa em que ele sugere um “pacto” para barrar a Lava Jato, ao falar com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.

MINISTROS QUE CAÍRAM MAIS RÁPIDO
Romero Jucá (Planejamento) – 11 dias, Temer
Bebianno (Secretaria-Geral) – 49 dias, Bolsonaro
Cid Gomes (Educação) – 2 meses e 18 dias, Dilma
Silas Rondeau (Minas/Energia) – 4 meses, Lula
Antônio Palocci (Casa Civil) – 5 meses, Dilma
Benedita da Silva (Assistência Social) – 1 ano, Lula

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *