Política Nacional

Em Brasília, Bill Clinton diz que ‘navio do Brasil não está afundando’

Clinton deu uma palestra no encerramento do Encontro Nacional da Indústria, organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Durante sua fala, o norte-americano exaltou os recursos e o potencial que ele vê no Brasil. Clinton disse que “prefereria estar na posição do Brasil do que na de muitos outros países”.

Compartilhe:

O ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, disse nesta quinta-feira (12) em Brasília, ao comentar o momento da economia e da política do Brasil, que o país “não está afundando” e que, daqui a 5 anos, os brasileiros vão se perguntar por que estão se preocupando agora.

Clinton deu uma palestra no encerramento do Encontro Nacional da Indústria, organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Durante sua fala, o norte-americano exaltou os recursos e o potencial que ele vê no Brasil. Clinton disse que “prefereria estar na posição do Brasil do que na de muitos outros países”.

“Os desafios políticos são uma chance para, daqui a 5 anos, vocês olharem para trás e pensarem: com o que estávamos nos preocupando?”, afirmou Clinton. “O navio do Brasil não está afundando”, completou.
Ele citou as transformações econômicas e sociais ocorridas no Brasil nos últimos 25 anos e disse que o país não perdeu o potencial de continuar avançando. Clinton lembrou também, como exemplo de conquistas do país, o programa brasileiro de combate à AIDS, considerado por ele como pioneiro no mundo. “A capacidade do Brasil de fazer as coisas acontecerem é incrível”, ressaltou.

O ex-presidente abordou ainda o sistema político brasileiro. Para ele, o país está investindo em transparência, o que renderá avanços no futuro. “Vocês estão no meio de um esforço de tornar o seu sistema político transparente.Isso será bom daqui a alguns anos”, disse.

Manaus
Bill Clinton disse em visita a Manaus, apoiar que o Brasil tenha participação fixa no Conselho de Segurança das Nações Unidas. “Apoio um assento permanente no Conselho de Segurança para o Brasil”, disse, acrescentando que Índia e Japão também deveriam ter lugar no grupo.

O atual líder americano, Barack Obama, havia manifestado “apreço à aspiração” brasileira de ser membro permanente. O Conselho de Segurança é formado por China, França, Rússia, Reino Unido e EUA, além de dez outras nações que participam temporariamente e se alternam a cada dois anos. O Brasil é uma delas, e fica até o final de 2011.

Clinton veio ao Brasil para participar do Fórum Mundial de Sustentabilidade, um encontro de empresários para discutir temas ambientais. Ele ainda deve dar outra palestra numa universidade local, também neste sábado.

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *