Política Nacional

Janot diz que Lula deu ‘ascendência’ a Collor na BR Distribuidora

Segundo o procurador, objetivo de Lula era garantir apoio no Congresso

Compartilhe:

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu “ascendência” ao senador Fernando Collor sobre a BR Distribuidora em troca de apoio político no Congresso.

A BR Distribuidora é uma subsidiária da Petrobras. A declaração de Janot está na peça de denúncia contra o deputado Vander Loubet (PT-MS) que o procurador enviou ao tribunal em dezembro de 2015.

“Após o fim do período de suspensão de direitos políticos, Fernando Affonso Collor de Mello retornou à vida pública. Na condição de senador pelo Partido Trabalhista Brasileiro do Estado de Alagoas (PTB-AL), por volta do ano de 2009, em troca de apoio político à base governista no Congresso Nacional, obteve do então Presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, ascendência sobre a Petrobras Distribuidora- BR Distribuidora”, escreveu Janot.

Em nota, o Instituto Lula informou que o ex-presidente “não tem relação com os fatos descritos pelo procurador, tanto assim que não é parte desta ação penal”. De acordo com a nota, “Lula já esclareceu, em depoimento à Polícia Federal, que nunca teve relação pessoal com Nestor Cerveró, muito menos gratidão, e que desconhece supostos benefícios que estão sendo investigados”. “Lula sempre atuou dentro da lei, antes, durante e depois de ser presidente da República”, conclui a nota.
A nota do instituto Lula diz que “apesar da campanha de boatos e falsas denúncias de que tem sido alvo, Lula não responde a nenhuma ação judicial, porque sempre atuou dentro da lei, antes, durante e depois de ser presidente do Brasil”.

A defesa do senador Fernando Collor disse que ele não vai se manifestar, porque não está entre os acusados na denúncia contra Loubet – há outra denúncia tratando das investigações sobre Collor no STF.

“O senador Fernando Collor não é acusado na referida denúncia, não é parte no mencionado processo, e, portanto, não comentará as conjecturas e especulações do dr. Rodrigo Janot”, afirma a defesa de Collor em nota.

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *