Política Nacional

Temer não vai participar de nenhuma forma de golpismo, diz Rui Falcão

Ele disse que Eduardo Cunha ao aceitar pedido mostrou abuso de poder.

Compartilhe:

O presidente do PT Rui Falcão disse que confia no vice-presidente Michel Temer para que o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff aceito pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) não siga adiante. “Eu tenho segurança no que ele diz porque é um constitucionalista de renome e não vai participar de nenhuma forma de golpismo, nenhuma trativa pra conspirar contra um governo do qual ele participa. Essa luta em defesa da democracia, do mandato conquistado nas urnas, é uma batalha que o PT travará de bom grado”, disse Falcão em entrevista coletiva na sede do diretório nacional do PT em São Paulo.

Rui Falcão citou uma frase famosa nas campanhas eleitorais recentes. “Assim como a esperança venceo o medo, a coragem vai vencer a chantagem e o golpismo”.

Falcão disse que o partido tem pressa para decidir o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff “para acabar com processo de barganha e chantagem”. “Não podemos arrastar durante meses com governo focado nisso e a sociedade esperando medidas concretas para sua vida no cotidiano”

“Quem estava atrapalhando era esse jogo, impeachment ou não impeachment. Agora o governo pode se concentrar naquilo que interessa o país. Resolvido rapidamente esse processo temos condições de focar nos desafios econômicos”, afirmou.

Falcão desmentiu a afirmação do presidente de Cunha, de que houve processo de barganha. “Neste momento o que está em jogo é a democracia, que foi conquistada duramente.”

Ele avaliou que a atitude de Cunha ao aceitar o pedido de impeachment “é um caso típico de desvio de finalidade e abuso de poder.”

“Independentemente do abuso de poder e da chantagem confessa, nao tem lastro jurídico e não tem base política.”

Rui Falcão lembrou o post que publicou no Twitter, no qual escreveu “Confio em que nossos deputados, no Conselho de Ética, votem pela admissibilidade”. “Se ele (Cunha) resolveu aceitar o pedido de impeachment por isso, prova mais uma vez abuso de poder”.

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *