Política Nacional

Teto de gastos é ‘sólido’ e revisar norma seria ‘besteira’, diz Maia

Regra que limita crescimento dos gastos da União está em vigor desde 2016. Nesta quarta, Bolsonaro foi indagado se governo pode flexibilizar teto e respondeu: ‘Questão de matemática’.

Compartilhe:

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira (4) que o teto para os gastos públicos é “sólido” e que revisar a norma para aumentar as despesas seria “besteira”.

Mais cedo, nesta quarta, o presidente Jair Bolsonaro foi questionado se há a possibilidade de o governo flexibilizar a regra. Bolsonaro, então, respondeu que “é uma questão de matemática” já que as despesas obrigatórias têm aumentado.
A regra, proposta pelo governo Michel Temer em 2016 e aprovada pelo Congresso, determina que os gastos da União (Executivo, Legislativo e Judiciário) só poderão crescer conforme a inflação dos 12 meses anteriores à elaboração do Orçamento da União.

Quando a Câmara votou a proposta que tratava do teto de gastos, Bolsonaro votou a favor do projeto.

Orçamento dos ministérios
Na avaliação de Rodrigo Maia, Bolsonaro afirma que pode mudar a regra porque alguns ministros teriam dito que o orçamento das pastas acabou.

Além disso, para Maia, alguns ministros “entraram em pânico” ao ver o orçamento proposto pelo governo para o ano que vem.

“Meu sentimento, não conversei com ele [Bolsonaro], é de que ele mandou o orçamento, e os ministros entraram em pânico com o que receberam, não imaginavam que a restrição fiscal ia ser tão grande. Ele está tentando responder pela média do governo, não só pela equipe econômica”, afirmou o presidente da Câmara.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *