Política

Em Oiapoque, entra em funcionamento a terceira usina produtora de oxigênio do Amapá

O equipamento, fruto de uma articulação do senador Davi com o governo federal, foi instalado em uma base do Hospital Estadual de Oiapoque e tem capacidade de produzir 30m³ de oxigênio por hora, o que pode atender, segundo cálculos da secretaria de Saúde do governo do estado

Compartilhe:

“É uma retaguarda gigante para a saúde pública e para a proteção da vida das pessoas no Amapá, e isto ocorre em meio à maior crise sanitária por que passa a humanidade”. Foi com essas palavras que o senador Davi Alcolumbre (Democratas -AP) registrou, ao lado do governador Waldez Góes, o  momento em que a usina de oxigênio de Oiapoque entrou em funcionamento no Hospital Estadual naquele município do extremo norte do Amapá, na manhã deste sábado (17).

O equipamento, fruto de uma articulação do senador Davi com o governo federal, foi instalado em uma base do Hospital Estadual de Oiapoque e tem capacidade de produzir 30m³ de oxigênio por hora, o que pode atender, segundo cálculos da secretaria de Saúde do governo do estado,  aproximadamente 100 leitos hospitalares.

A usina de Oiapoque é a terceira a ser instalada no Amapá. Já estão em funcionamento uma usina em Laranjal do Jari, no extremo sul do estado, e uma usina em Macapá, na capital. O funcionamento delas possibilita a ampliação de leitos e o abastecimento de cilindros de oxigênio, o que pode evitar o colapso diante da ameaça da falta do produto, além de melhorar a logística de distribuição para atender todas as regiões do estado.

A usina de Oiapoque vai reforçar o sistema de saúde que atende unidades públicas garantindo oxigênio, um produto que é vital para o tratamento de pacientes graves de Covid-19.

Uma quarta usina deve ser instalada no município de Santana no prazo de 30 dias. Todas elas foram obtidas e transportadas pela intermediação de Davi, que tem trabalhado incansavelmente para dar suporte ao Amapá neste período crítico de pandemia global.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *