Última hora Polícia Política Cidades Esporte
Diário nas Eleições

Luiz Carlos assume federação PSDB/CIDADANIA e declara apoio a Clécio e Davi nas Eleições 2022

Deputado Tucano é o novo coordenador da frente partidária que sai do controle do prefeito Antônio Furlan, mas mantém parceria na eleição proporcional.


Cleber Barbosa
Da Redação

 

Em uma entrevista coletiva, o deputado federal Luiz Carlos (PSDB/AP) comunicou que a direção nacional da Federação PSDB e CIDADANIA acatou pedido para dissolver a direção regional que era comandada pelo prefeito de Macapá, Antônio Furlan (CIDADANIA). O ponto de discórdia foi o lançamento do nome da primeira-dama Rayssa Furlan como pré-candidata a senadora, já que o grupo de Luiz Carlos apoia a reeleição de Davi Alcolumbre (UNIÃO/AP).

 

Durante o pronunciamento, Luiz Carlos diz não haver de sua parte nenhuma animosidade em relação ao prefeito Dr. Furlan, mas que a aliança política existente com o grupo que ajudou na coalizão que governou Macapá – na gestão de Clécio Luís – e que ajuda na governabilidade do estado – na gestão Waldez Góes – é mais antigo e consolidado que qualquer aliança eleitoral para a disputa deste ano.

 

Luiz Carlos lembrou que foi gestor da Macapá Previdência na prefeitura da capital quando Clécio era prefeito, e recentemente foi secretário estadual de Desenvolvimento das Cidades, no Governo do Amapá.

 

“Ratifico aqui que continuamos mantendo um relacionamento estreito com o prefeito Furlan, eu telefonei inclusive para ele, sem absolutamente nenhum sentimento de tripudiar em cima dessa decisão da direção nacional da nossa federação partidária, mas trata-se realmente de uma posição institucional e nada pessoal contra ele”, disse Luiz Carlos.

 

O representante da federação disse ainda que independente da decisão convencional do CIDADANIA em lançar candidaturas próprias a governo e senado – Gilvam e Rayssa – , alheias ao que o PSDB trabalha – Clécio e Davi – está mantida a aliança para a eleição proporcional dos postulantes a deputado federal e estadual das duas agremiações.

 

“Somente no campo da eleição majoritária que o nosso grupo não concorda, por entender que essas candidaturas são totalmente alheias à nossa identidade política, pois tiraria a competitividade das candidaturas do PSDB deixando muito unilateral a posição do CIDADANIA, em ampla vantagem, haja vista que o PSDB não participa da base do CIDADANIA, mas do UNIÃO BRASIL, SOLIDARIEDADE E PDT”, concluiu.


Comente