Turismo

RAIO-X NA HOTELARIA

Censo Hoteleiro 2017

Compartilhe:

CLEBER BARBOSA
EDITOR DE TURISMO

A Prefeitura de Macapá está realizando esta semana um completo levantamento sobre os meios de hospedagem da capital do Amapá, chamado Censo Hoteleiro 2017. A ação será efetivada por meio de pesquisa nos hotéis do município, com o objetivo de avaliar os resultados das ações de gestão dos mesmos e levantar informações para as políticas públicas de incentivo ao setor de turismo com foco no setor hoteleiro.

Segundo a coordenação dos trabalhos, os hotéis receberão visitas de técnicos para o levantamento de dados básicos sobre os empreendimentos, que vão desde a capacidade dos hotéis, média de ocupação e serviços oferecidos, entre outros. “O censo possibilitará a identificação acerca da competitividade do mercado hoteleiro, além de auxiliar na elaboração de políticas que fomentem a inovação, a criatividade e a sustentabilidade do setor, fortalecendo a imagem turística de Macapá”, frisa a diretora-presidente do Instituto Municipal de Turismo, Juliane Pereira.

Resultados
Os recenseadores farão visitas em todos os hotéis, pousadas e similares de Macapá. O levantamento das informações acontecerá até este final de semana e contará com o apoio técnico da Associação Brasileira de Turismólogos e Profissionais de Turismo (ABBTur/AP) na tabulação dos dados. A apresentação oficial dos resultados está marcada para o dia 22 de dezembro, na sala de reuniões da Prefeitura de Macapá, num evento que pode acima de tudo proporcionar um debate ampliado sobre o setor de hotelaria.

Dinâmica
Será aplicado um questionário nos estabelecimentos hoteleiros dos municípios que visa levantar dados básicos sobre os empreendimentos, além de iniciativas de inovação nos campos de qualificação profissional, sustentabilidade ambiental e ações de apoio à comunidade local. De acordo com a coordenação, esse levantamento possibilitará identificar a competitividade do mercado hoteleiro no município, além de auxiliar na elaboração de políticas que fomentem a inovação, criatividade e sustentabilidade do setor, fortalecendo a imagem turística da Macapá.
Levantar tais informações auxilia nas políticas públicas de incentivo ao setor hoteleiro, principalmente no que diz respeito à sustentabilidade dos estabelecimentos.

 

Turismólogo fiz que a pesquisa ajuda o setor

Para o turismólogo Sandro Bello, que também integra a Associação Brasileira de Bacheréis em Turismo (ABBTur), o fato de termos técnicos visitando a rede hoteleira e alguns órgãos que lidam com informações turísticas, como a Infraero e os órgãos de arrecadação e os meios de hospedagem irá possibilitar mensurar o fluxo de pessoas na cidade e a contribuição desse setor na economia. “Na quarta-feira, inclusive, haverá uma iniciativa no sentido de chamar a imprensa e apresentar esses dados através da Macapatur em parceria com a ABBTur, quando esses dados serão repassados a partir da compilação que o nosso pessoal irá colher no campo”, disse ele.

Bagagens – Sandro Bello esteve no rádio ontem concedendo entrevista ao programa Conexão Brasília, pela Diário FM, falou também a respeito da cobrança de taxa sobre a bagagem dos passageiros, medida de iniciativa das companhias aéreas que entemde ter sim surtido algum efeito. “A maioria dos países do mundo trabalham dessa forma, e que tecncamente falando conseguiu sim reduzir os custos com passagens aéreas”, disse ele.

 

Integrantes da Melhor Idade ganham ‘city tour’ por Macapá

Alegria, troca de experiências e celebração do natal fizeram parte das atividades promovidas pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), durante a semana para o grupo da terceira idade Viva Melhor, que recebe acompanhamento de profissionais da equipe do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), no bairro Beirol. A ação, que contou com “city tour”, café da manhã e sorteio de brindes, fez parte das festividades de encerramento das atividades deste ano.
A coordenadora da equipe do Nasf, Adriana Carneiro, enfatizou a importância de momentos de convivência harmoniosa, com e empoderamento desses sujeitos. “Elas auxiliam no desenvolvimento deles, melhorando o desempenho diário. Isso reflete na qualidade de vida de cada um, na convivência em sociedade. Por meio do grupo, estes idosos podem reavaliar a sua vida e ver que precisa estar inserido em um grupo social que lhe proporcione desenvolver suas potencialidades, reconhecer e aprender a conviver com suas limitações”.

Uma terapia
O Viva Melhor é composto por cerca de 60 idosos, que fazem acompanhamento três vezes na semana, que incluem sessões de fisioterapia, alongamento e relaxamento, acompanhamento nutricional, além de fonoaudiólogo e psicólogo. “Sou a mais recente do grupo e fui tão bem acolhida que me sinto como se a vida toda estivesse aqui. É uma atenção, um carinho tão grande que a gente recebe aqui, que só posso desejar vida longa a esse grupo que mudou a minha vida”, comentou Raimunda Trindade.
Colaborou: Jamile Moreira

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *