Turismo

SOB O FRIO DE DUBLIN

Amapaense ‘congela’ na capital da Irlanda em intercâmbio

Compartilhe:

CLEBER BARBOSA
EDITOR DE TURISMO

Para ela um recomeço, após ficar viúva e precisar refazer a vida. Mas o que era para ser uma válvula de escape acabou se transformando numa virada profissional na carreira da amapaense Joseane Caldas, 43, que nasceu e foi criada em Santana (AP), radicou-se em Maceió (AL) e há dois anos mora em Dublin, na Irlanda, para onde foi fazer intercâmbio e estudar inglês. Largou o emprego – concursado – de professora de escola pública para mergulhar nos estudos e partir para uma etapa de trampo internacional.


A pedido do Diário do Amapá, ela será a protagonista da promoção “Minha Viagem Inesquecível” desta semana. Para isso, ela compartilha a seguir seu Diário de Bordo, com informações valiosas sobre a Irlanda e alguns lugares que a amapaense já visitou.

O começo
“Sempre fui fascinada pela Europa, desde pequena. Após concluir a graduação em Pedagogia, iniciei o curso de Letras-inglês na Universidade de Alagoas, foi quando decidi fazer um intercâmbio para aprimorar o idioma, uma vez que isso me possibilitaria ter a experiência de morar no exterior e ainda agregar um título que faria a diferença em minha carreira”.

Um novo país
“Cheguei a Dublin em novembro de 2014, no início do inverno. O tempo era sempre chuvoso e a paisagem cinzenta, frio de 1 grau abaixo de zero não fazia parte dos meus planos, habituada ao calor intenso, foi difícil de acostumar com o extremo, entretanto, com o tempo comecei a me apaixonar pela cidade, pelo povo e costumes e percebi que os irlandeses, de forma geral, são muito acolhedores e simpáticos e estão sempre sorridentes e adoram puxar conversa”.

Fascínio
“A Irlanda é um país conhecido como Ilha Esmeralda, faz fronteira com outro território chamado Irlanda do Norte, que pertence ao Reino Unido e já foi um dos mais pobres da Europa e hoje tem o 7º lugar no Índice de Desenvolvimento Humano. A capital Dublin, que tem aproximadamente 525 mil habitantes, foi eleita em 2014 a cidade mais acolhedora da Europa (e a 5ª do mundo). É exatamente esse clima festeiro e amigável que faz com que um intercâmbio aqui, aproximadamente 30 mil brasileiros vivem atualmente na Irlanda. Fazer Intercâmbio em Dublin, é escolha inteligente para quem quer aprender inglês. O compacto centro da maior cidade irlandesa, às margens do Rio Liffey, se tornou uma espécie de ímã para jovens de diversas partes do mundo”.

 

Música e diversão.
Cultura no intercâmbio

O que comer
“Vamos começar, então, por este ponto: diversão. Faz parte da cultura irlandesa sair de casa, não importa se esta chovendo ou um frio de -1 grau no inverno, eles não se importam com o clima, frequentar pubs e ouvir uma boa música ao vivo é a melhor opção, ficar no sofá não está com nada! Mais cedo ou mais tarde (muuuito cedo, provavelmente!) você vai acabar na área de Temple Bar, especialmente ao longo da Fleet Street. Esse é o bairro dos universitários da Trinity College, que fica ali pertinho, e também onde os turistas se esbarram quando a noite chega”.

O que beber – Pubs tradicionalíssimos podem ser encontrados também em vielas próximas à Grafton Street, a rua principal do centro, que é ótima para compras. Entres os pubs mais conhecidos da cidade estão o Brazen Head, datado de 1198; o Mullingan’s, fundado em 1782; e o McDaids, uma espécie de “pub literário”. Em todos eles, um pint (500 mil de cerveja) custa em torno de € 5 (cinco euros)”.

 

Terra da banda U2, a gelada Irlanda também tem o seu “carnaval”

“Mas nem só de programas etílicos vive a cidade. Dublin remete à cultura e à música, já que é o berço de grandes músicos e bandas – Enya, U2, The Cranberries – e de escritores, como Oscar Wilde, George Bernard Shaw, Bram Stoker, Jonathan Swift, William Butler Yeats, Samuel Beckett. Dois museus retratam a história da literatura local: o Dublin Writers Museum e o James Joyce Museum. Eles também estão sempre envolvidos em diversas áreas do esporte sempre procurando obter uma boa qualidade de vida também tem carnaval por aqui, um festival em comemoração ao Dia de Saint Patrick, o Saint Patriks’ Day é tipo o padroeiro da cidade uma parada com desfiles e fantasias, nada que se compare ao nosso Carnaval claro, mas bem animado”.


Custo de vida

“O custo de vida é mediano na Irlanda. Dublin (para intercâmbio) tem preços razoáveis. Intercambistas relatam que os gastos variam aproximadamente de € 500 a 700 por mês. É possível economizar, principalmente no transporte (andando de bike, por exemplo, ou ainda adquirindo os cartões mensais) e na alimentação. Quando quiser ir a um restaurante, o segredo é comer cedo. A maioria oferece um menu especial, mais barato, para as primeiras horas da noite: o chamado Early Bird ou Pre-Theathe Menu. Eles tem um jeito peculiar de misturar o almoço ao café da manhã, chamam isso de Brunch, uma mistura de café da manha e almoço. A comida dos Irlandeses é a base de batata, visto que é que mais se planta por aqui. Dublin possui uma variada rede de restaurantes com comidas do mundo inteiro, inclusive restaurantes brasileiros”.


CURIOSIDADES

– – Por ser barato viajar de avião e trem pela Europa você pode conhecer outros países vizinhos Espanha, Portugal, Itália e França.
– Ainda pretendo ficar um bom tempo por aqui estudando e trabalhando e com a minha história quero incentivar as pessoas a fazerem coisas positivas, encorajar, animar.
– Gosto de mostrar o lado bom das coisas, mostrar que existe um mundão lá fora, que quem coloca limites geográficos nas nossas cabeças somos nós mesmos!!!
700 Euros
Custo mensal para fazer intercâmbio em Dublin.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *