Política Nacional

Energia: Amapá é beneficiado com acordo de R$ 100 milhões assinado por Davi e Bolsonaro

A comunidade será a primeira região atendida pelo programa no Brasil que será executado pela Eletronorte

Compartilhe:

Em ato histórico para as famílias residentes em unidades de conservação, como o arquipélago do Bailique no Amapá, o senador e presidente do Congresso Nacional, Davi Alcolumbre (Democratas-AP), acompanhado do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, e do ministro Bento Albuquerque, assinaram, nesta quarta-feira (5), o programa de diretrizes para execução do “Mais Luz para Amazônia”, com investimento de mais de R$ 100 milhões para instalação de equipamentos de geração de energia limpa e renovável para a comunidade amapaense. O evento aconteceu no ministério de Minas e Energia, e também contou com a presença do diretor-presidente da Eletronorte, Roberto Parucker.

Por meio do ‘Mais Luz para a Amazônia’, lançado em fevereiro, o governo federal pretende instalar painéis solares e baterias nas regiões isoladas da Amazônia, hoje atendidas por geradores a diesel. Com investimento estimado em R$ 2,5 bilhões, a proposta é universalizar o acesso à energia elétrica em todos os estados da Amazônica Legal, garantindo fornecimento a aproximadamente 300 mil pessoas da região onde, hoje, não há nenhuma infraestrutura de transmissão e distribuição.

Davi comemorou a escolha do Bailique como a primeira região do Brasil a ser atendida pelo programa.

“A assinatura de autorização para que o estado que eu represento, com muito orgulho, seja o projeto-piloto desta proposta, é um sinal de respeito e reconhecimento da importância que isso representa para mais de 12 mil habitantes que vivem com um único acesso, via fluvial, e em total isolamento, estando a 180 km da capital, com o mínimo possível de condições para sobrevivência. Sei que esse modelo de energia, renovável e limpa, é aguardado há muitos anos por nós, amapaenses, amazônidas e tantos trabalhadores humildes que, até hoje, nunca tiveram condições de acesso à boa energia no coração da Amazônia. É uma resposta geracional na vida desses brasileiros que estavam esquecidos e agora foram lembrados”, destacou Davi.

O atendimento será priorizado às famílias de baixa renda, inscritas em programas sociais, que vivem em assentamentos rurais, comunidades indígenas, ribeirinhas, quilombolas, e em reservas extrativistas impactadas por empreendimentos de geração ou transmissão de energia. Dentro da Amazônia, esse programa vai auxiliar de maneira expressiva a agricultura familiar.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o programa mostra que “o Brasil é grande e realmente tem muitos desafios pela frente, mas que esse trabalho vai ajudar também a integrar a nossa região amazônica.” Bolsonaro também afirmou, dentre outras coisas, que novos investimentos chegarão aos habitantes da região Norte no futuro.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *