Polícia

Suspeitos de assassinar tabelião são transferidos de helicóptero para Macapá

A transferência foi feita através do Gavião 01 do Grupo Tático Aéreo (GTA). Os presos foram escoltados até a sede da Delegacia de Polícia do Interior (DPI).

Compartilhe:

Elden Carlos e Jair Zemberg
Da Editoria de Polícia

Suspeitos de envolvimento na morte do tabelião Manoel Queiroz Barbosa, de 50 anos, o ‘Manoelzinho’, Francinaldo Negrão Cordeiro, de 22 anos, o ‘Franci’, e Aclauciano Cordeiro Santana, de 21, o ‘Tarci’, foram transferidos do distrito do Bailique para Macapá no fim da tarde de quinta-feira, 13.

A transferência foi feita através do Gavião 01 do Grupo Tático Aéreo (GTA). Os presos foram escoltados até a sede da Delegacia de Polícia do Interior (DPI). Parentes do tabelião fizeram um protesto durante a chegada dos elementos.

“Ambos já confessaram envolvimento no crime, mas são catedráticos em afirmar que as facadas que mataram a vítima foram desferidas por Fernando Ribeiro das Neves, o ‘Toco’, que agora é o único foragido, e que ainda seria o mentor do crime”, disse o delegado José Neto, que preside o inquérito.

As prisões foram feitas pela guarnição comandada pelo tenente Bryan Fonseca, comandante do destacamento policial na região do Bailique. “Atuamos de forma conjunta com a Polícia Civil e a resposta veio com provas concretas da materialidade do crime. Assim que os indícios iam surgindo nós fomos fechando o cerco. Quando as prisões foram decretadas pela justiça nós sabíamos exatamente onde esses elementos estavam homiziados, exceto o Fernando, que já havia fugido do distrito de culpa”, declarou o tenente que apresentou os presos em Macapá.

Após passar por interrogatório na DPI, Franci e Tarci foram levados para a Polícia Técnico Científica (Politec) onde passaram por exame de corpo delito. De lá a dupla seguiu para o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen).

 
Compartilhe:

Tópicos: