Esportes

Eduardo Ramos lamenta os constantes atrasos de salários no Clube do Remo

Série C

Compartilhe:

Há quatro temporadas no Remo, o meia Eduardo Ramos é considerado um dos líderes entre os jogadores. Por isso, ele foi escolhido como uma espécie de porta voz do elenco para as reinvindicações junto à diretoria, até porque o clube não conta com um executivo de futebol. Entretanto, Eduardo garante que não partiu dele a paralisação dos atletas na última terça-feira, que se recusaram a treinar em razão de salários atrasados. O camisa 10 azulino disse apoiar o grupo pelo direito de receber o pagamento em dia.

“Isso não partiu de mim, pois tem gente que diz que o capitão toma a frente ou algo nesse sentido. Não tomo decisão alguma sozinho, sou apenas um humilde porta voz dos meninos com a diretoria para evitar um estresse, um incômodo. Foi feita uma reunião e 80% do grupo se achou no direito de cobrar, pois algo tinha sido prometido para pagamento após o jogo contra o Confiança. Sem fazer crítica a ninguém, mas nesses dois meses me preparo para isso diante das coisas que já passei no clube. Não é algo que tem que ser normal, mas acontece” destacou Ramos.

É a terceira vez, nos últimos três anos, que os atletas do Remo se recusam a treinar em razão de salários atrasados. Para “salvar” o ano do clube na área financeira, Eduardo Ramos sabe que a saída é, também, garantir a classificação ao mata-mata que vale o acesso à Série B de 2018. Se chegar à final da Terceirona, então, o Leão pode fechar o ano de maneira bem mais tranquila.

 
Compartilhe:

Tópicos: