Última hora Polícia Política Cidades Esporte

Pe. Claudio Pighin

A sabedoria da massa popular


Ainteligência da massa popular se expressa de maneira bem evidente quando tem um certo consenso comum naquilo que se tinha previsto.

Para melhor entender isso, imaginemos uma competição em que as pessoas devem advinhar o peso de pacotes com dez abacaxis. Ganha a prova o competidor que se aproximar do peso real das frutas. Podemos ter a certeza de que todas as declarações de peso podem chegar bem perto do peso real. Este é o princípio da sabedoria da massa popular aplicada à dinâmica de previsão. Agora, imaginamos de potenciar digitalmente esta possibilidade, juntando elementos de previsão pela rede. O que vai acontecer? Parece que a nossa sabedoria começa a hesitar, vacilar.

Praticamente, a nossa compartilha relacional continuada de conteúdos, via digital, acabaria com o efeito da sabedoria da massa popular. O conhecimento, justamente via on-line, das opiniões dos outros, dos nossos amigos, nos leva à ilusão de pensar que nós temos um consenso comum naquilo que queremos prever. A convergência das análises individuais leverá, na verdade, a um afastamento do fenômeno de prever. Vendo via on-line aquilo que os outros pensam, e nisto não são poucos, alimenta uma dependência, condicionamento social, que nos pode levar a se deixar levar pela massa da praça digital a uma conformação de opinião.

Com isto, significa que as pessoas não devem se influenciar entre elas e que cada pessoa tem de dizer a própria opinião, embora totalmente diferente. Ora, parece evidente que aquilo que se produz nos sites, paginas digitais, tem uns condicionamentos que proveem das relações sociais de amizade, de status, de grupos, ideologias etc. Eis aqui o perigo de transformar a sabedoria da massa popular em “estupidez do rebanho”. De fato, o limite entre essas duas realidades, sabedoria e estupidez, é bem pequeno e pode se discernir na falta de autonomia de julgar de quem faz uso dos network.

Essa autonomia de opinião, justamente, vem menos devido ao fato de ter, constatemente, necessidade de saber o que as pessoas pensam, dizem e, assim, se deixam levar para isso. O decrescimento da sabedoria da massa popular é constituída da nossa realidade social dominada pela midia. Continuando, o mesmo autor nos diz que as sociedades democráticas têm muitas dificuldades em realizar um conjunto de juízos independentes porque a perda de diferentes juízos parece ser necessária para fazer um processo decisional que seja transparente. Para melhor entender isso, vejamos as pesquisas de opinião e a mídia em geral que promovem intensamente avaliações de informação e, assim, produzem a nossa convergência do nosso modo de julgar a realidade, os fatos. Desse jeito, pode-se alimentar demais certezas, com falsas conclusões. Precisamos discernir melhor a nossa conduta e a maneira de pensar, para viver melhor a nossa liberdade.