Trabalho

Fátima Pelaes, que comanda a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, foi ao ministro do trabalho, Ronaldo Nogueira, nessa terça-feira, 12, tratar de capacitação feminina, sobretudo na área de ciências exatas, para inserção no mercado de trabalho. A secretária, que tem status de ministra, foi a Ronaldo acompanhada da coordenadora da bancada feminina na […]

Compartilhe:

Fátima Pelaes, que comanda a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, foi ao ministro do trabalho, Ronaldo Nogueira, nessa terça-feira, 12, tratar de capacitação feminina, sobretudo na área de ciências exatas, para inserção no mercado de trabalho. A secretária, que tem status de ministra, foi a Ronaldo acompanhada da coordenadora da bancada feminina na Câmara dos Deputados, Soraya Santos, e da deputada Cristiane Brasil. Também foi solicitado ao ministro, por elas, que todas as ações em prol da mulher realizada pela pasta do trabalho tenham o selo do Brasil Mulher, rede de ações estratégicas em favor do sexo feminino oficializada em decreto assinado semana passada pelo presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto. Ficou acertado, ainda, que no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, será assinado termo de trabalho de parceria entre a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres e o Ministério do Trabalho.

Pesquisa online
As intenções de voto de eleitores brasileiros e a avaliação de políticas públicas também podem ser feitas por meio de análises em redes sociais. O artigo ‘As mídias sociais podem revelar as preferências dos eleitores?’, publicado pela revista especializada Journal of Information Technology & Politics, aponta que os resultados desta análise de sentimento podem indicar preferências com uma precisão de apenas 1% a 8% diferente da pesquisa tradicional, que tem uma precisão média de 81%. Segundo os autores, o artigo avaliou se dados extraídos das mídias sociais poderiam revelar as preferências políticas dos cidadãos com maior precisão do que as pesquisas de opinião pública tradicionais. Foram analisados 92.441 tweets relacionados aos candidatos presidenciais no segundo turno das eleições em 2014. Os resultados da análise foram comparados com seis pesquisas de preferências realizadas pelo Instituto de Pesquisas Datafolha. Segundo o artigo, a mídia social fornece aos usuários da internet um novo espaço no qual se expressam compartilhando seus pensamentos e opiniões sobre vários tópicos. “Cada vez mais, blogs, fóruns na web e plataformas de redes sociais como twitter, facebook, youtube, myspace e linkedIn oferecem aos seus públicos ambientes interativos que permitem a troca de informações, conhecimento, opiniões e emoções, permitindo uma comunicação rápida, aberta e acessível. Isso tornou a mídia social excelente fonte de dados para pesquisas de opinião”, descreve o artigo.

Pagar para o de trás?
Você pagaria a conta para as pessoas que estão no carro atrás de você, no drive thru de uma lanchonete — mesmo sem conhecê-las?

Esse foi o desafio que uma estação de rádio local lançou, para transformar a comunidade. Foi chamada de A diferença no drive thru. O alvo era promover um ato de bondade, à semelhança de Cristo, para pessoas que não o esperavam e deixar uma nota dizendo que estavam fazendo isso por causa de seu amor a Cristo.

Por que fazer isso? Por que gastar dinheiro com a comida de alguém — especialmente alguém que nem conhecemos e que pode ser hostil à fé? Por que dar sem esperança de retorno? Isso soa contracultura, mas a ideia tem uma forte base bíblica.

Observe o que Jesus disse ao se dirigir a uma grande multidão: “Se amais os que vos amam, qual é a vossa recompensa? Porque até os pecadores amam aos que os amam. Se fizerdes o bem aos que vos fazem o bem, qual é a vossa recompensa?” (Lucas 6,32-33). Com certeza, Jesus quer que façamos o bem a pessoas que não têm nenhum recurso para nos pagar de volta.

Se estivermos pagando a conta de alguém ou colocando moedas na caixinha de uma organização de assistência social, devemos nos preocupar em ofertar com generosidade — quer isso nos traga alguma recompensa ou não. Em nome de Jesus, a quem você pode abençoar hoje? A motivação para dar revela o caráter do doador mais do que a própria dádiva. — Dave Branon


 
Compartilhe: