Artigos

Abelhinha

Ok, cara, a abelhinha só vem uma vez. Não, eu não sei para onde ela foi. Acho que seus olhos murchos não podem mais percebê-la. Umapenca de anos se passou, você pulou da janela e alguma coisa aconteceu. 

Compartilhe:

Ok, cara, um bocado de tempo passou e você não se identifica mais com as canções de Radiohead. Alguma coisa aconteceu, mas você não sabe muito bem o que mudou. Um dia uma abelhinha bateu na tua porta, zuniu até te enlouquecer. Desvairado, você pulou pela janela, mas em nada adiantou, porque a abelhinha o salvou. De repente, o zunido tornou-se melódico fazendo parte das frestas endurecidas datua mente. Você até me contou que não sentia mais dores de cabeça, porém pular da janela tornou-se um vício. E você sabe que os vícios acabam com a gente. Um dia de domingo, quando o vizinho lavava o carro importado, quando as crianças brincavam de guerra na varanda, quando os jornalistas mudavam o mundo mais uma vez, você pulou da janela. O ventou soprou-lhe os cabelos delicadamente, mas antes de qualquer coisa você sentiu o chão. Cara, você não viu mais nada. Não viu porque seus olhos esbugalhados estavam intumescidos de sangue. Você sequer sentiu o cheiro do próprio sangue. Um cheiro nada agradável, devo dizer. Seus pulmões explodiram. Subitamente você não sentia mais nada. Sabia, porém, que a abelhinha fugira. Por que ela se foi, indagou-se. As abelhinhas voam, cara. As abelhinhas são assim: chegam e ficam zunindo até a gente se acostumar com elas, mas um dia, quando nos acomodamos com o amparo, quando perdemos o medo de pular pela janela, elas se vão. Mas que merda, cara. Por que diabos você pulou pela janela? O chão é tão duro, dói só de pensar um corpo esparramado ali.

Ok, cara, aquela canção era mesmo boa. Como era mesmo? Era deprimente, eu sei. Tornou-se impossível escutá-la depois que a abelhinha se foi. Agora você tem supermercado para fazer, hoje é domingo e as crianças precisam fazer o dever de casa. Alguém lhe deu uma agenda de presente no ultimo natal. Agora você também dá presentes de natal. O que é isso, cara? Ah, é uma gravata. Agora você também usa gravatas. Pular pela janela de gravatas deve ser bem legal, por que você não tenta? Ok, cara, não faz sentido mesmo pular pela janela usando gravatas. Quem é aquele grande besouro? Cara, me desculpa, eu não percebi que era você.

Ok, cara, a abelhinha só vem uma vez. Não, eu não sei para onde ela foi. Acho que seus olhos murchos não podem mais percebê-la. Umapenca de anos se passou, você pulou da janela e alguma coisa aconteceu. Mas você não sabe o que foi.

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *