Artigos

Trabalho acadêmico

Exploração sexual de criança e adolescente   A exploração sexual é um daqueles temas que se ouve muito falar, mas se sabe pouco, no entanto, tem sido motivo de preocupação do mundo inteiro.   Muitas crianças e adolescentes se prostituem por diversas razões, no qual um dos fatores, é a falta de estrutura econômica e […]

Compartilhe:

Exploração sexual de criança e adolescente

 

A exploração sexual é um daqueles temas que se ouve muito falar, mas se sabe pouco, no entanto, tem sido motivo de preocupação do mundo inteiro.

 

Muitas crianças e adolescentes se prostituem por diversas razões, no qual um dos fatores, é a falta de estrutura econômica e familiar, que acaba tornando a vida fragilizada e ameaçada.

 


De acordo com Hazel (2004) o fenômeno da exploração sexual contra crianças e adolescentes é muito mais frequente do que se possa imaginar, e estima-se que apenas 20% dos casos de maus-tratos sejam denunciados.

 

A exploração sexual infantil transformou-se no terceiro mais rentável comércio mundial, atrás apenas da indústria de armas e do narcotráfico. Além de ser um dos temas mais constrangedores ao Brasil, essa verdadeira onda de pedofilia está contribuindo para criar uma geração precoce de portadores do vírus da AIDS.

 

Dessa forma, a exploração sexual infantil constitui-se numa praga que exige medidas concretas e urgentes, como bem asseveram os estudiosos da temática.

 

O que sustenta a exploração sexual é a vulnerabilidade socioeconômica e psicológica das vítimas, pois, tornam-se presas fáceis em busca de dinheiro, aliada à impunidade desses crimes.

 

Já as consequências para as vítimas são muitas, tanto físicas quanto psicológicas. E a reintegração social desta criança ou adolescente geralmente é um processo complexo e lento.

 

Assim, torna-se urgente a realização de mobilização entre família, sociedade e o Poder Público, a fim de se enfrentar a exploração sexual infanto-juvenil, não apenas criando-se leis e decretos que buscam nortear as ações dentro da legalidade, mas, buscando-se a colaboração mútua entre todos os segmentos da rede de apoio, para enfim erradicar esse problema que preocupa e faz pensar.

 

Acadêmicos: Manoel Benedito, Rafael L. Matos, Rogério S. Aragão, Rubens G. M. Neri
Orientadora: Prof.ª Sônia
Faculdade de Macapá – Fama
Curs: Direito 
7° Termo Noturno

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *