Cidades

Carnaval 2020: Carnavalesco Milton Cunha realiza ação afirmativa preparatória para representantes do segmento

A próxima reunião já está marcada para quarta-feira, 23 de outubro, onde os representantes deverão avaliar em conjunto com os gestores municipais as propostas para a realização do Carnaval do Meio do Mundo 2020.

Compartilhe:

Como uma das estratégias para o resgate do carnaval em Macapá, o Município realizou nesta quinta-feira, 17, a palestra e roda de conversa “Carnaval – Gestão de escola de samba e a força dos artistas populares”, que teve como ministrante o carnavalesco Dr. Milton Cunha.

De acordo com a titular da Fundação Municipal de Cultura, Marina Beckman, a reunião, de caráter formativo, tem como finalidade a retomada das festividades na cidade. “O prefeito Clécio Luís e o presidente do Senado, Davi Alculumbre, se colocaram à disposição para ajudar as escolas nesse processo de resgate cultural da tradicional festa popular, que é o carnaval. Desde então, tanto a Fundação de Cultura quanto o Instituto de Turismo de Macapá e a Secretaria do Gabinete do Prefeito vem se reunindo com os representantes das agremiações e elaborando estratégias para que as escolas se unam novamente e voltem a brilhar na avenida”, explicou.

Ao iniciar a sua apresentação, o carnavalesco provocou os participantes com a pergunta: O que o público pode encontrar no carnaval em Macapá que não tem em outros estados onde a festa acontece? A resposta veio em seguida. Macapá é a única capital banhada pelo maior rio de água doce do mundo, cortada pela linha do equador, onde vive o beija-flor brilho de fogo, que tem o povo de jeito tucuju de ser e que dança Marabaixo, entre outras características existentes da cidade.

Ainda segundo Cunha, a valorização das peculiaridades locais é um trunfo que deve ser pensado pelas agremiações para atrair o público local e turistas. “O carnaval em Macapá tem tudo para acontecer, tem um gestor que está disposto a fomentar a cultura, tem dez agremiações lindíssimas e poderosas, tem o público. Agora, é chegar no denominador comum e fazer um grande espetáculo”, ressaltou o carnavalesco.

Para o presidente da Escola de Samba Império da Zona Norte, Patrik Willian, a prefeitura abre uma oportunidade para o resgate do carnaval amapaense. “Após o aniversário da cidade, em fevereiro, o prefeito disse que iria comprar a ideia de resgate do carnaval em Macapá, algo que era realizado pelo governo, mas que, há quatro anos, não faz alegando sempre falta de recurso. Graças a Deus, temos um prefeito com visão empreendedora, que sabe o retorno que o espetáculo traz para a cidade, e as expectativas estão a mil para que possamos botar nossa escola para desfilar novamente na avenida”, comentou.

Estiveram presentes no encontro o diretor-presidente do Instituto Municipal de Turismo, Paulo Brito; a Liga Independente das Escolas de Samba do Amapá; as escolas de samba: Maracatu da Favela, Unidos do Buritizal, Piratas da Batucada, Boêmios do Laguinho, Solidariedade, Emissários da Cegonha, Piratas Estilizados, Embaixada Cidade de Macapá, Império do Povo e Império da Zona Norte; os blocos: a Liga dos Blocos Independentes do Amapá (Liba); Rosa na Folia, Carnaesperança, Rei da Malandragem e Carnaval na Ponte.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *