Cidades

PPI: Governo investe na produção rural de cooperativas agroextrativistas de Macapá e Santana

Produtores receberam recursos para manejo de açaizal nativo, cultivo de mandioca e hortaliças.

Compartilhe:
Foto: Márcio Pinheiro

O Governo do Amapá entregou, neste sábado, 16, os fomentos do Programa de Produção Integrada de Alimentos (PPI) para 80 agricultores de cooperativas produtoras rurais dos municípios de Santana e de Macapá.

Os recursos serão investidos no manejo de açaí nativo, e nas produções de mandioca e de hortaliças, fortalecendo a agricultura familiar.  As entidades foram selecionadas pelo edital do PPI/2021 e contam com a orientação técnica da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

O PPI 2021 alcança 1.270 produtores de 63 entidades agrícolas, totalizando R$ 11 milhões para a agricultura familiar, que é parte dos R$55 milhões destinados ao setor econômico nos últimos 18 meses. Esses investimentos foram detalhados pelo governador, Waldez Góes, que avalia a produção rural como peça fundamental para o desenvolvimento econômico do estado.

“Queremos a agricultura do nosso estado cada vez mais forte, com a produção em larga escala de expansão. O desenvolvimento econômico deve incluir um vigoroso desenvolvimento rural”, destacou o governador.

 

“Nosso objetivo é ter uma produção pulsante, com os agricultores capazes de atender tanto a demanda interna quanto exportar seus produtos dentro de uma segurança econômica que só acontece com os investimentos e orientações corretas”, explicou o secretário da SDR, Janner Gazel.

Beneficiados

Quem comemora todos estes investimentos é, principalmente, quem tem na produção agrícola os esforços de toda uma vida.

É o caso da Djanira Oliveira, presidente da Associação dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais da Agricultura Familiar e dos Extrativistas de Santana (ATTAFEX-SAN). Ela conta que o sentimento de entusiasmo é forte também entre os associados. Juntos, os 40 contemplados da associação receberão R$ 199.829,00 para o manejo de açaí nativo e horticultura convencional.

“A atenção que o produtor agrícola recebe do Governo com certeza é o que resulta nessa produção que só cresce”, comemorou.

Entusiasmo compartilhado também pelos agricultores da Central de Negócios de Horticultura do Amapá (Cesta Verde). São 20 agricultores que receberão R$ 145.600,00 para o fortalecimento da mandiocultura. A presidente da cooperativa, Maria Ivanete Barros, falou da importância desse investimento para a ampliação da produção.

“Com esses recursos do Estado, conseguimos sair daquele ritmo de produção quase artesanal e agregar valor ao nosso produto. Com certeza vai fazer toda a diferença para a nossa comunidade e também para os consumidores”, concluiu.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *