Cidades

Prefeitura de Macapá intensifica visitas técnicas em escolas da zona urbana e rural da capital

Trabalho visa embasar estratégias de gestão adequadas para tornar o processo educacional mais eficiente e benéfico para alunos e educadores.

Compartilhe:

A Prefeitura de Macapá trabalha para fortalecer a educação, pois acredita que isso desencadeia benefícios para todas as áreas do desenvolvimento da capital. Esse tem sido o caminho adotado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) com as 98 escolas em atividade, que recebem periodicamente visitas técnicas que visam embasar estratégias de gestão adequadas para tornar o processo educacional mais eficiente e benéfico para todos os atores envolvidos.

Nos dias 9 e 10 de outubro, o secretário municipal de Educação, Edielson Silva, liderou os trabalhos de inspeção nas escolas do distrito de São Joaquim do Pacuí e arredores. A localidade tem oito escolas municipais e atende cerca de 800 estudantes.

“Essas ações demonstram o compromisso que o prefeito Dr. Furlan tem para com todos os envolvidos na educação municipal. Nesse contato pessoal com a comunidade escolar nós podemos tomar conhecimento de tudo o que tem trazido dificuldades ao processo educacional e atuar para corrigi-las”, explicou o secretário.

Esta ação realizada no Pacuí envolveu funcionários de diversas divisões da Semed para realizar serviços de levantamento das principais dificuldades encontradas por alunos e profissionais da educação. Um desses serviços tem a ver com a ampliação da rede de internet das escolas rurais, por meio do programa Escolas Conectadas.

“Estamos estudando melhorar a qualidade da internet disponíveis dentro das nossas escolas, então essas visitas são importantes para que saibamos exatamente o que cada escola precisa, tanto com relação a equipamentos, como também relacionada à quantidade de banda contratada”, afirmou o coordenador de Inovação e Análise de Dados, Benedito Jesus.

A atividade encabeçada pelo titular da pasta da educação também contou com rodas de conversa com o corpo docente das escolas e o mapeamento dos processos trabalhistas que precisam ser resolvidos.

“Nunca imaginamos que o próprio secretário iria reunir com a gente e perguntar quais as nossas reinvindicações. Com certeza estamos mais motivadas a realizar um bom trabalho, pois sabemos que temos uma gestão que se preocupa com a gente”, celebrou a professora Charlena dos Santos, que trabalha na EMEF Liberdade do Pacuí.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *