Entrevista

“A retomada econômica passa pela construção civil”

O processo de verticalização de Macapá está sendo retomado e poderá impulsionar a economia após a pandemia, com algumas peculiaridades que vão desde as adaptações às condições climáticas locais até a chegada de novos técnicos

Compartilhe:

Cleber Barbosa
Da Redação

 

Diário do Amapá – Como surgiu o convite para o senhor permanecer no Amapá após a entrega da obra do novo aeroporto de Macapá?
Daniel Pirajá – Na verdade o próprio contrato da obra previa que além de ficarmos responsáveis pela execução de todos os projetos executivos da construção do terminal de passageiros, teríamos que colocá-lo em operação e ainda um período de manutenção assistida que está finalizando agora.

Diário – Mas, paralelamente, o senhor passou a tocar outros projetos por aqui?
Daniel – Pois é, ficamos internalizados aqui por dois anos e acabamos formatando um grande network, muito conhecimento aqui no estado, virando um cidadão da cidade também, despertando o interesse em permanecer aqui após sermos procurados por empresários e formadores de opinião referente a algumas obras que estavam paralisadas. Por conta dessas obras acabaram se formando associações de adquirentes e mutuários dos empreendimentos com interesse na condução dos projetos, às suas próprias expensas, então acabamos assumindo esse desafio de formatar uma modelagem que oferecesse segurança para a execução desses empreendimentos e já é uma realidade.

Diário – Quais as características desses prédios?
Daniel – São prédios mais altos, em estrutura de concreto, a maioria de alto padrão, com apartamentos de três a quatro quartos, com coberturas. Já acabamos de finalizar a estrutura do edifício Atlanta, estamos efetuando os acabamentos nos edifícios Costa Norte e Getúlio Vargas, e vamos iniciar a estrutura do efifício Safira.

Diário – O que o mercado de Macapá oferece como diferencial?
Daniel – Pois é, todos esses projetos têm como chancela de qualidade uma localização ímpar na cidade, a gente que está no mercado de incorporação há muito tempo sabe que a localização é tudo, então ter duas torres com 76 unidades de apartamentos com uma vista fantástica para o rio Amazonas, que não deixa a desejar a nenhuma cidade de praia do Brasil, aliás, todo o litoral do estado é lindo.

Diário – Existe possibilidade de vocês assumirem também a conclusão do edifício ACIA?
Daniel – Olha, a gente já foi procurado diversas vezes para conversar sobre esse edifício, então estamos desenvolvendo um estudo com relação à finalização da obra para poder apresentar à Associação Comercial do Amapá, para ver se há o interesse da contratação da obra para fazer o gerenciamento da finalização dessa construção, nos mesmos modelos que nós aplicamos nos outros empreendimentos.

Diário – Salas comerciais lá, não é mesmo?
Daniel – Exatamente, são salas comerciais e a parte de baixo pertencente à associação comercial, que inclusive deverá se mudar para lá nos próximos dias, pois é um projeto que está bastante avançado, com 85% da obra concluída, que logo poderá se credenciar a obter a sua carta de habite-se por parte da Prefeitura de Macapá.

Diário – E sobre as particularidades da cidade em termos de ventos, luminosidade?
Daniel – Ah, sim com certeza, não só no aspecto positivo do clima local, mas também nos aspectos de certa forma desafiadores para a construção, que nos levaram a um processo de desenvolvimento de tintas para aplicação nas fachadas, com tratamento antimofo, dado o excesso de umidade, como também alterando a característica das janelas e vedações, pois eram concebidas para vidro temperado, que efetivamente não são as melhores soluções na questão do conforto térmico e estanqueidade [vedação], substituindo por esquadrias de alumínio, dado o regime de chuvas daqui também.

Diário – Está otimista então?
Daniel – Com certeza, estamos vivendo um momento ímpar no mundo onde há uma expectativa muito grande nessa retomada, então com certeza o soerguimento do setor econômico passa pela construção civil, que é a mola propulsora para geração de empregos para o país e é negócio investir em imóveis, até pela atual conjuntura, como jamais tivemos, taxas bancárias jamais vistas e o enorme déficit habitacional. A verticalização vai ajudar muito Macapá a crescer e se desenvolver.

 

Perfil

Daniel de Almeida Pirajá é formado pela Universidade Estadual de Minas Gerais (1998) com MBA em Gestão Empresarial com ênfase em estratégia e finanças pela FGV.

Experiência profissional
– Executivo com experiência profissional em anos atuando no setor de construção civil, atendendo a empresas de iniciativa privada e contratos públicos. – Atuação nas áreas técnicas e operacional, controle e gestão financeira, de qualidade, recursos humanos, projetos, suprimentos, cargos de gerência e diretoria.
– Experiência na direção e gerenciamento de equipes multidisciplinares, prazos, cronogramas, segmentos e projetos.
– Atuação em contratos de gestão pública e privada. Larga experiência em gestão e desenvolvimento de projetos na área de incorporação de grande escala com mais de 800 unidades residenciais entregues nos mais diversos padrões.
– Construção, projetos e implantação na área de shopping centers. Desenvolvimento e compatibilização de projetos, coordenação e gerenciamento de obras.
– Construção Civil Pesada com execução metroviária e aeroportuária. Relações institucionais e planejamento técnico.
– Infraestrutura para saneamento, linhas de recalque, emissários, elevatórias e manutenção.
– Hoje é diretor de engenharia da Dan-Hebert S/A.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *