Geral

Fibromialgia: especialista dá 10 dicas para amenizar a dor

Não há cura para a doença, mas é possível amenizar o quadro com protocolo de tratamento fisioterapêutico

Compartilhe:

A Fibromialgia é uma doença que causa muitas dores e pode prejudicar a qualidade de vida de muitas pessoas acometidas pela doença. A fisioterapeuta e professora do curso de Fisioterapia da faculdade Fama Macapá, Caroline Mendes, explica que a fibromialgia causa dor em vários músculos, de maneira difusa, em diversos segmentos do corpo inclusive na musculatura da coluna vertebral.

“Além de outros sintomas, como cansaço, tristeza, depressão e má qualidade do sono, entre outros, já que é caracterizada por mais de cem sintomas associados”, detalha a especialista.

Predominante em mulheres com mais de 30 anos, também acomete homens, jovens e idosos. Por ser uma doença sem diagnóstico feito por exames de sangue, raio-x, tomografias ou ressonâncias é preciso que o paciente consulte médicos especialistas e mantenham o tratamento corretamente.

Infelizmente não há cura para a doença, mas é possível amenizar o quadro com protocolo de tratamento fisioterapêutico adequado para cada paciente, visando a redução e o controle da dor, proporcionando aumento ou manutenção das habilidades funcionais do paciente em casa ou no trabalho. “A Fisioterapia pode e contribui muito para amenizar e controlar o quadro sintomatológico do paciente acometido da síndrome reumática da Fibromialgia, e proporcionando a melhora da função, assim como da manutenção da independência funcional”, acrescenta.

A especialista separou algumas ações quem podem ajudar no controle da doença. Confira:
1 – Higiene do sono – Se organizar para conseguir ter sono adequado de aproximadamente oito horas por noite, e assim, automaticamente, favorece ao sistema imunológico se reparar e acordar melhor.
2 – Atividade física – É fundamental fazer o mínimo de atividade física possível, com respeito à limitação da dor, é recomendado uma caminhada, algo leve, para acelerar o ritmo cardiovascular.
3 – Cuidar da mente – Fazer atividades prazerosas, que gerem bem-estar. Pode ser ficar em família ou amigos e com pessoas que façam o paciente se sentir bem. Fatores emocionais influenciam muito na questão psicossomática.
4 – Rotina de alongamento – Criar uma rotina de alongamento, é relevante, já que o alongamento muscular promove a sensação analgésica e ajuda demais a combater as dores.
5 – Água quente – Se for simplesmente fibromialgia, sem processos inflamatórios atrelados à doença, o banho com água quente causa vasodilatação e relaxa os músculos e os pontos excessivos de contração. Se tiver como ser em banheira de água quente, é ainda melhor.
6 – Evitar alimentos e bebidas estimulantes – Ao manter uma alimentação equilibrada e saudável o organismo reage melhor ao tratamento. Importante inibir o consumo de cafeína e alimentos termogênicos, como pimenta.
7 – Grupos de apoio – Frequentar grupos de apoio mútuo faz com que os acometidos pela fibromialgia se sintam pertencentes, se ajudem e se incentivem a superarem os males causados pela doença.
8 – Acupuntura – A técnica ajuda a amenizar as dores crônicas causando alívio, e proporciona analgesia.
9 – Ajuda emocional – Manter acompanhamento com psiquiatra e/ou psicólogo faz com que o profissional identifique questões emocionais mal resolvidas e oriente corretamente quanto à necessidade de usar ou não medicamento para a depressão, que afeta muitos pacientes.
10 – Escolha ser feliz – A dor é limitante, sim, e no caso da fibromialgia que é uma enfermidade crônica, mas pode ocasiona em alguns desgosto pela vida, é importante buscar meios de ser feliz, de ficar alegre. Não se entregar aos sentimentos ruins é fundamental, quando o paciente mostra para a dor que ele é detentor das possibilidades de manter a qualidade de vida o processo flui e facilita muito o tratamento.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *